Divulgação/CBV
Divulgação/CBV

Brasil sofre, mas bate França por 3 a 2 na Liga Mundial

Com a vitória no Ginásio do Ibirapuera, seleção masculina mantém invencibilidade

AE, Agência Estado

28 de junho de 2013 | 12h46

A seleção brasileira masculina de vôlei sofreu, mas confirmou o seu favoritismo ao vencer a França por 3 sets a 2, com parciais de 25/20, 25/19, 22/25, 21/25 e 15/12, nesta sexta-feira, no ginásio do Ibirapuera, em São Paulo, pela terceira rodada da Liga Mundial.

O resultado manteve o Brasil invicto na competição, na qual já acumulava dois triunfos sobre a Polônia e outros dois sobre a Argentina. Mas, pelo fato de ter cedido dois sets aos franceses, os comandados de Bernardinho somaram apenas dois dos três pontos possíveis nesta sexta.

Desta forma, a seleção chegou aos 13 pontos na liderança do Grupo A e ficou mais próxima da classificação para a próxima fase da Liga Mundial. A Bulgária está na vice-liderança da chave, com 11, e nesta sexta entrará em quadra para enfrentar os Estados Unidos, fora de casa, com chance de assumir a ponta.

O Brasil volta a encarar a França neste sábado, a partir das 10h10, novamente no Ibirapuera, e este jogo de sexta foi o primeiro em casa do País nesta Liga Mundial.

O JOGO

O duelo na capital paulista começou equilibrado, com os dois times se alternando na frente do placar até o Brasil abrir três pontos de vantagem no 13 a 10. Os franceses rapidamente reduziram a diferença para 18/17, mas, embalados por uma boa passagem do oposto Wallace pelo saque, os brasileiros abriram 21/17 e administraram o placar até o central Lucão fechar a parcial em 25/20.

No segundo set, a alternância dos times na frente do placar voltou a ser uma constante, com o Brasil primeiro abrindo 7/4, antes de a França virar para 9/8 e depois abrir 13/10. Na sequência, entretanto, os brasileiros foram buscar a igualdade no 13/13 e chegaram ao segundo tempo técnico com vantagem de 16/15 após bloqueio de Lucão. E, empurrada por boa sequência de saques do levantador William, a seleção abriu 18/15 e começou a abrir mais frente até fechar a parcial em 25/19 com um bloqueio de Vissotto.

A partir do terceiro set, porém, a França deu início a uma grande reação. A parcial seguiu equilibrada até o segundo tempo técnico, mas a partir dali a França deslanchou ao abrir 21/17 e depois sustentou a vantagem até fechar em 25/22.

Com a confiança em alta para o quarto set, a França voltou com tudo para quadra e já foi para a primeira parada técnica vencendo por 8/5, antes de o Brasil reagir e empatar em 9/9. Entretanto, os franceses seguiam com grande volume de jogo e abriram três pontos novamente no 19/16, antes de fazer 23/20 e depois liquidar a parcial em 25/21.

Com isso, o duelo foi para o tie-break, com a França mantendo seu melhor momento e indo para a virada de quadra vencendo por 8/6, antes de abrir 10/7 e fazer 12/9. Entretanto, o que se desenhava como uma virada francesa se tornou uma grande reação brasileira na reta final do jogo. Impulsionado por uma grande passagem de William pelo saque, o time de Bernardinho fez seis pontos seguidos para fechar em 15/12.

No duelo desta sexta, o Brasil entrou em quadra com Bruninho, Vissotto, Éder, Lucão, Dante e Lucarelli, além do líbero Mário Jr. William e Wallace entraram na equipe no decorrer do confronto.

Pelo lado da França, destaque para o levantador Rafael Redwitz, brasileiro que se naturalizou francês em abril. Ele chegou a cantar o Hino Nacional do Brasil durante a cerimônia que antecedeu o confronto e foi o maestro do time que quase surpreendeu a equipe da casa.

Tudo o que sabemos sobre:
vôleiLiga MundialBrasilFrança

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.