Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Brasil tenta manter tabu no vôlei

Com a equipe reforçada pela atacante Virna e a levantadora Fofão, a seleção brasileira feminina de vôlei entra em quadra disposta a manter o tabu de nunca ter perdido para Uruguai, na partida desta quinta-feira, às 18 horas. O jogo será a estréia da equipe do técnico Marco Aurélio Motta no Campeonato Sul-Americano da Argentina, que teve a tabela alterada nesta quarta-feira.Desde o primeiro confronto em 1951, as brasileiras venceram todas as 15 partidas que disputaram contra as uruguaias, 14 delas por 3 sets a 0 e uma por 3 sets a 1. Por esse motivo, o fato de os organizadores do Sul-Americano terem mudado a tabela - o Brasil iria estrear contra a Venezuela - não preocupou Marco Aurélio. O técnico está mais interessado no aperfeiçoamento da equipe para a Copa dos Campeões, em novembro, no Japão. O Sul-Americano é a seletiva da competição na Ásia."Treinamos para ganhar padrão nas relações de ataque pois, com a volta de Virna mais a Fofão rendendo quase 100% do que pode vamos crescer nesse fundamento", explicou Marco Aurélio. "Temos de trabalhar o ataque de fundo e dar mais velocidade a outras jogadas."No bloqueio e na defesa, o treinador espera que o grupo mantenha o desempenho do Grand Prix. Virna, no entanto, acha que o time pode mostrar progressos também nesses dois fundamentos. "Precisamos evoluir e temos condições totais para isso."Segundo Marco Aurélio, a seleção uruguaia não deve apresentar surpresas, pois é time sem tradição, inclusive nas categorias inferiores. "Sobre o Uruguai, sei que é um time sem expressão, mas temos de manter a concentração para ganhar", avalia Virna.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.