Brasil termina Mundial Juvenil Feminino de Vôlei em 3º

O Brasil conquistou neste domingo a medalha de bronze no Mundial Juvenil Feminino de Vôlei. Na República Checa, a equipe brasileira, comandada por Luizomar de Moura, foi derrotada pela China nas semifinais, mas subiu ao pódio depois de superar a Itália por 3 sets a 0, parciais de 28/26, 25/21 e 25/18. A China bateu o Japão facilmente na decisão e acabou campeã.

AE, Agência Estado

30 de junho de 2013 | 16h41

Com o bronze, o Brasil mantém a escrita de subir sempre ao pódio nesta competição bianual, mas mantém o jejum de três edições sem título. A equipe foi campeã pela primeira vez em 1989, na terceira edição do torneio, e desde então só não ganhou medalha em 1993, quando competiu em casa, em Brasília. Entre 2001 e 2007 foram quatro títulos, com o Brasil chegando ao hexa, mas desde então o País somou apenas dois bronzes e uma prata.

A equipe tem como principal nome a ponteira Gabi, que inclusive está inscrita para jogar o Grand Prix no adulto. Neste domingo, a equipe titular teve também a levantadora Giovana, a oposto Sara, as centrais Saraelen e Valquíria, a ponteira Rosamaria e a líbero Dani Terra. Gabi, Sara, Valquíria e Rosamaria são remanescentes da equipe que foi sexta colocada no Mundial Infantojuvenil de 2011, pior resultado da história do vôlei brasileiro.

"Estou muito feliz. É uma medalha de bronze muito comemorada. Essa geração merecia essa conquista, no último ano de juvenil. São excelentes jogadoras, que vão dar um ótimo futuro para o voleibol brasileiro, principalmente a Gabi, que já é uma realidade. Ela comandou o time aqui no Mundial", comemorou Luizomar.

O treinador criticou o regulamento da competição (quatro grupos de cinco times), que acabou colocando Brasil e China, campeões de suas chaves, como adversários na semifinal. "Brasil e China não podiam se enfrentar antes da final. Na minha opinião, o Brasil é o segundo melhor time, atrás da China, que tem uma geração muito boa. Foi muito legal ter 20 equipes na disputa, alguns times africanos, mas acho que não foi justo. Fomos terceiro com apenas uma derrota. Já o Japão chegou na final com duas", disse Luizomar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.