Brasil vence EUA e segue invicto no Mundial do Japão

Com mais uma grande exibição, a seleção feminina brasileira de vôlei venceu os Estados Unidos por 3 a 0 (25/23, 25/21 e 25/13), neste sábado, e segue invicta no Mundial do Japão, líder isolada do Grupo C, com quatro vitórias. As norte-americanas estão em segundo, depois de sofrerem a primeira derrota."Jogamos bem. Foi nosso melhor jogo, tecnicamente, principalmente no terceiro set. Temos um time em que a qualquer momento uma (jogadora) pode entrar no lugar da outra", afirmou o técnico José Roberto Guimarães. "O primeiro objetivo foi atingido, que era chegar em primeiro no grupo. Mas, contra Camarões, próximo adversário, temos que ter cuidado. Vamos subir a escada devagar", acrescentou.Em tese, a equipe brasileira não deverá encontrar dificuldades em seu último confronto pela primeira fase do Mundial do Japão, contra Camarões. Embora as africanas tenham perdido os três primeiros confrontos, "o time não é bobo", afirma Zé Roberto. "É um time que tem boa movimentação."O jogo começou com muito equilíbrio, como se esperava do duelo entre as duas únicas equipes até então invictas no grupo. Logo no início, três pontos de bloqueio deram uma vantagem de 6 a 3 para os EUA. O Brasil, no entanto, acertou o ataque e ficou em vantagem. Mas, ao longo de todo o set, foram constantes as alternâncias, sem que nenhuma das equipes mostrasse uma clara superioridade. Os erros das brasileiras se mantiveram no segundo set, com Carol insistindo em buscar a bem marcada Jaqueline na entrada da rede e deixando os EUA liderarem o placar. A reação começou com uma seqüência de quatro saques devastadoresde Sassá, incluindo um ace.O terceiro set foi mais tranqüilo. O Brasil chegou a marcar sete pontos seguidos contra uma seleção americana bem menos vibrante e aplicada que no início da partida. Com uma defesa sólida, que permitia trocas de bola e contra-ataques constantes, o time chegou naturalmente aos 3 a 0.A Holanda assumiu o terceiro lugar da chave ao derrotar Porto Rico por 3 a 0 (30/28, 25/17 e 25/18). As duas equipes tem duas vitórias e duas derrotas, mas o time europeu leva vantagem no point average, primeiro critério de desempate. No jogo dos lanternas, Casaquistão bateu Camarões por 3 a 0 (25/20, 25/13 e 25/12) e ainda sonha com uma vaga na segunda fase: tem de vencer a Holanda e tentar superá-la no point average, ou torcer para que Porto Rico perca para os Estados Unidos.Atualizada às 10h40

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.