Divulgação/CBV
Divulgação/CBV

Brasil vence Rússia na estreia na fase final do Grand Prix

Rússia teve chance de ganhar o jogo, mas brasileiras venceram por 16 a 14 após rali no ponto final

AE,

19 de agosto de 2009 | 06h19

A seleção brasileira feminina de vôlei começou bem a fase final do Grand Prix, em Tóquio. Na luta pelo seu oitavo título do torneio, a equipe dirigida por José Roberto Guimarães manteve a sua invencibilidade, ao superar a Rússia por 3 sets a 2, com parciais de 25/20, 22/25, 25/17, 24/26 e 16/14, em 1 hora e 54 minutos.

Veja também:

linkZé Roberto destaca reação do Brasil contra a Rússia

  

Para vencer, o Brasil precisou de uma virada sensacional no quinto set, em que chegou a estar perdendo por 14/12. Sheilla foi fundamental para o triunfo brasileiro ao marcar 28 pontos e ser a maior pontuadora da partida.

 

O Brasil começou melhor a partida, com um bom trabalho defensivo, e foi para o primeiro tempo técnico vencendo por 8/3. Com uma boa vantagem, apenas manteve o ritmo no primeiro set e venceu por 25/20.

 

O Brasil liderou o placar no início do segundo set, mas cedeu a vantagem na metade da parcial e foi derrotado por 25/22. A equipe de José Roberto Guimarães venceu o terceiro set com tranquilidade. Abriu larga vantagem no início da parcial (11/6) e fechou em 25/17.

 

No quarto set, o Brasil chegou a abrir 4/0. Porém, com muitos erros de recepção e de ataque sofreu a virada. A equipe ainda tentou reagir, mas a Rússia venceu o quarto set por 26/24.

 

O quinto set foi equilibrado. A Rússia, porém, abriu 14/12 e teve duas chances para fechar a partida. Mas, com um excelente trabalho de seu bloqueio, o Brasil conseguiu fazer quatro pontos seguidos e venceu a disputa por 16/14.

 

A seleção brasileira feminina de vôlei volta a jogar na quinta-feira. A partir das 3h30 (horário de Brasília), a equipe vai enfrentar a China. Nesta quarta, a equipe asiática foi derrotada por 3 sets a 2 pela Holanda, com parciais de 18/25, 25/22, 25/22, 24/26 e 15/13.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.