Bruno rechaça favoritismo do Cimed na Superliga

O levantador Bruno não acredita que o Cimed/Brasil Telecom leve alguma vantagem nos playoffs decisivos da Superliga Masculina de Vôlei por ter vencido três dos quarto turnos e terminado na liderança geral a fase classificatória da competição. Segundo o jogador da seleção brasileira, o favoritismo fica apenas fora de quadra..

AE, Agencia Estado

18 de março de 2009 | 18h52

"Pela nossa campanha, somos apontados como favoritos naturais. Dentro de quadra isso acaba. Vamos procurar fazer o nosso trabalho com os pés no chão", declarou o atleta, medalhista de prata nos Jogos Olímpicos de Pequim.

Nas quartas-de-final, o Cimed encara o Fátima/UCS, oitavo colocado na primeira fase. A primeira partida da série melhor de três será no sábado, às 20 horas, em Florianópolis.

"Para nós (jogar em casa) é melhor, porque treinamos todos os dias no Ginásio Capoeirão. Além disso, eles terão que viajar para chegar até aqui e, certamente, sofrerão mais desgaste. Contamos também com a ajuda da torcida", destacou.

No entanto, Bruno lembra que o adversário tem alguns pontos fortes e por isso o Cimed deve estar atento. "A UCS é um time que tem como principal ponto forte o bloqueio. Eles contam com um meio-de-rede muito alto, formado pelo Gustavo e pelo Silêncio. Além disso, são experientes. Alguns deles já tiveram passagem pela seleção", assinalou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.