Caçula entre os centrais, Isac festeja chances na seleção de vôlei

Com problemas no ombro, Sidão não está sendo utilizado pela seleção brasileira de vôlei na fase de grupos da Liga Mundial. Sem ele, o técnico Bernardinho aproveita para rodar o elenco e testar outras opções no meio de rede. Além do também titular Lucão e dos veteranos Eder e Riad, também tem jogado o jovem Isac, de apenas 24 anos, caçula entre os atletas da posição.

Estadão Conteúdo

24 de junho de 2015 | 17h21

"A oportunidade de estar jogando é incrível. Tenho observado muito o jogo do Lucão, que sempre se destaca, do Riad, que vem crescendo muito na seleção, e do Éder, outro grande central. Estar ao lado deles é fundamental. Tento absorver o máximo desses jogadores, que são mais experientes do que eu. Assim, tento me destacar também", comenta o central, do Sada/Cruzeiro.

Apesar dos testes feitos por Bernardinho e pelo auxiliar Rubinho, a seleção brasileira vem bem na Liga Mundial, com 18 pontos e apenas duas derrotas até agora. O Brasil lidera o Grupo A e se preparara para jogar contra a Austrália, em Sydney. A rodada começa no sábado, às 6h10 (pelo horário de Brasília) e continua no domingo, às 3h30.

Tudo o que sabemos sobre:
vôleiLiga Mundial

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.