CBV/ Divulgação
CBV/ Divulgação

Campeões olímpicos, Alison e Bruno Schmidt caem para dupla dos EUA no Rio

Norte-americanos Dalhausser e Lucena conquistam a vitória no desafio 'Gigantes da Praia'

Estadao Conteudo

05 Fevereiro 2017 | 12h46

Medalhistas de ouro na Olimpíada do ano passado, Alison e Bruno Schmidt voltaram a atuar em uma arena utilizada nos Jogos do Rio neste domingo. No Centro Olímpico de Tênis, enfrentaram os norte-americanos Dalhausser e Lucena no desafio "Gigantes da Praia", mas desta vez não tiveram sucesso, caindo por 2 sets a 0, com parciais de 21/17 e 21/19.

O encontro festivo foi o primeiro evento do Centro Olímpico de Tênis desde os Jogos do Rio. Uma lona impermeável será colocada sobre o piso, para não danificá-lo, e a experiência de jogar na arena pela primeira vez agradou a dupla brasileira.

"Foi maravilhoso (jogar aqui). Acho que ganha com isso é o Brasil. Na Europa, isso já é comum, normal utilizar essas infraestruturas. Acredito que o público adorou, perto da galera, com uma cadeira confortável, local para estacionar. Estava lindo desde o feminino. O sol castiga um pouco, mas isso faz parte do vôlei de praia. Vão acontecer grandes etapas aqui, a areia estava ótima, os norte-americanos elogiaram muito", declarou Alison.

A dupla da casa só não teve o que comemorar em relação ao resultado. Foi o reencontro dos adversários, que haviam se enfrentado nas quartas de final da Olimpíada do ano passado. Em um dos confrontos mais difíceis que tiveram naquela competição, Alison e Bruno Schmidt venceram na ocasião por 2 sets a 1, com parciais de 21/14, 12/21 e 15/9.

O equilíbrio até foi visto mais uma vez no confronto deste domingo, mas em ambos os sets, Dalhausser e Lucena arrancaram na reta final para confirmar o triunfo. Apesar da derrota, Bruno Schmidt também foi enfático ao elogiar a festa realizada mesmo longe da praia no Rio.

"A gente sente que nosso esporte subiu um degrau em todos os padrões, tomara que possamos fazer mais eventos aqui, com essa estrutura toda. Dá para receber facilmente uma etapa do Circuito Mundial. As instalações estão ótimas. Claro que as pessoas associam sempre com a praia, mas os eventos mais charmosos, e por experiência própria com mais público, são feitos em locais fora da praia. É uma iniciativa excelente."

Antes do confronto no masculino, outra medalhista olímpica esteve em ação no Rio. Prata nos Jogos do ano passado, Ágatha atuou ao lado de sua nova parceira, Duda, que substituiu Bárbara Seixas, e venceu as compatriotas Ana Patrícia e Rebecca por 2 sets a 0, com parciais de 21/17, 21/19.

"O nosso foco é Tóquio 2020, mas até lá temos muitos torneios, várias competições, precisamos estar bem no ranking. Então, disputar torneios com esse público, esse peso, é ótimo. A minha experiência ajuda, mas em muitos momentos a Duda que me ajudará, como me ajudou hoje. Estou tentando passar esse conhecimento para ela", comentou Ágatha.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.