Divulgação
Divulgação

CBV anuncia contratação de auditoria externa para avaliar contratos de terceirização de serviços

Reportagem da ESPN Brasil denunciou o pagamento de R$ 10 milhões a uma firma aberta por ex-superintendente da CBV a título de intermediação de contrato de patrocínio que foi negociado diretamente pelas partes

O Estado de S. Paulo

11 de março de 2014 | 18h54

SÃO PAULO - A Confederação Brasileira de Vôlei (CBV) anunciou nesta terça-feira a contratação de uma auditoria externa para "avaliar contratos de terceirização de serviços assinados na gestão anterior", a de Ary Graça, hoje presidente da Federação Internacional de Voleibol (FIVb). O atual presidente, Walter Pitombo Larangeiras, assina como "presidente em exercício". Graça poderá apresentar sua renúncia à presidência da CBV na assembleia convocada para a próxima sexta-feira.

Graça, que assumiu a presidência da CBV em 95, recebeu o Prêmio Equilibrista – O Executivo do Ano, concedido pelo Instituto Brasileiro de Executivos de Finanças do Rio de Janeiro.

A contratação da auditoria vem no bojo de denúncias apresentadas pela ESPN Brasil, bem como o afastamento do ex-superintendente-geral, Marcos Pina.

"Iremos realizar uma revisão completa de todos os contratos de terceirização de serviços para tomar as providências necessárias caso problemas sejam detectados", explica o novo superintendente-geral da CBV, Neuri Barbieri.

A ESPN Brasil denunciou o pagamento de R$ 10 milhões à SMP Logística e Serviços Ltda. (de propriedade de Pina) a título de "remuneração relativa aos contratos de patrocínios firmados entra a CBV e o Banco do Brasil por cinco anos (de 2012 a 2017). No entanto, a assessoria de imprensa do Banco do Brasil afirmou que "o contrato foi firmado diretamente" entre a instituição bancária e a CBV.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.