CBV anuncia Superliga Feminina com apenas 10 times

A Confederação Brasileira de Voleibol (CBV) confirmou nesta quarta-feira que a Superliga Feminina da próxima temporada terá apenas dez equipes, duas a menos em relação à edição anterior. Já a competição masculina segue tendo 12 times, assim como foi na temporada passada. Ambos os torneios começam em novembro, ainda sem data definida.

AE, Agência Estado

30 de agosto de 2012 | 19h17

Entre as mulheres, não se inscreveram na Superliga 2012/2013 os cariocas Macaé, penúltimo colocado na temporada passada e Mackenzie, que foi até as quartas de final, além do Vôlei Futuro, time de Araçatuba (SP), que foi semifinalista na edição anterior.

Como novidade entre as mulheres, apenas um clube, o Amil Vôlei, de Campinas (SP), novo time que será comandado por José Roberto Guimarães e tem a levantadora Fernandinha, campeã olímpica em Londres/2012 e a central Walewska, medalhista de ouro nos Jogos de Pequim/2008.

Entre os homens, saíram o Londrina (PR), último, e o Montes Claros (MG), antepenúltimo colocado na temporada passada. Entraram nos lugares deles os dois times que chegaram à final da Superliga B: o Canoas (RS) e o Pindamonhangaba (SP). O time gaúcho, aliás, chega reforçado, com Gustavo Andres e André Nascimento, ambos campeões olímpicos em Atenas/2006.

Dos 22 times que participarão da Superliga, metade deles vem de São Paulo, sendo seis entre as mulheres e cinco entre os homens. Minas Gerais tem cinco equipes, incluindo o Sada Cruzeiro, atual campeão masculino, enquanto o Rio tem três representantes, Santa Catarina dois e o Rio Grande do Sul um.

Tudo o que sabemos sobre:
vôleiSuperliga

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.