CBV lança Superliga com 30 medalhistas olímpicos

A competição começa nesta sexta-feira com 12 equipes no feminino e 10 no masculino

AE, Agência Estado

21 de novembro de 2012 | 15h25

SÃO PAULO - Contando com um recorde de 30 medalhistas olímpicos, a Confederação Brasileira de Vôlei (CBV) lançou nesta quarta-feira a 19ª edição da Superliga. A competição, que terá início nesta sexta-feira, terá 12 equipes no masculino e 10 no feminino, embaladas por 13 e 17 jogadores, respectivamente, que já subiram ao pódio em Olimpíadas.

No torneio masculino, o time que contará com mais atletas medalhistas será o RJX. Serão quatro jogadores, entre eles o levantador Bruno, prata em Pequim/2008 e em Londres/2012, e o ponteiro Dante, ouro em Atenas/2004 e prata em Pequim e Londres. O Sesi terá três, enquanto o Vivo/Minas contará com dois. Canoas, Medley/Campinas, Vôlei Futuro e o atual campeão Sada Cruzeiro têm apenas um atleta cada.

Um dos mais jogadores experientes da Superliga será o levantador Ricardinho, que voltou à seleção neste ano. "É motivo de muito orgulho fazer parte deste seleto grupo de medalhistas olímpicos. E também de participar de mais uma Superliga. É gostoso ver tantas feras reunidas aqui no Brasil. Há o desejo de todos de fazer o melhor campeonato do mundo. Não é de hoje que estão lapidando a Superliga para virar uma pedra preciosa", comentou o campeão olímpico em Atenas e medalha de prata em Londres, neste ano.

Na Superliga feminina, o destaque será o atual campeão Sollys/Nestlé e suas três bicampeãs olímpicas: Jaqueline, Thaisa e Sheilla. "Nossa equipe está em um bom momento. Tivemos uma temporada maravilhosa em 2012", comentou Jaqueline, já de olho no bicampeonato da competição nacional.

Outro destaque será o Sesi, com seis atletas, entre elas e meio-de-rede Fabiana, bicampeã olímpica. A Unilever terá mais quatro jogadoras e a Vôlei Amil inscreveu duas atletas medalhistas. Ao todo serão 17 atletas divididas em quatro equipes. "As equipes podem se modificar, mas sempre prevalece o equilíbrio técnico", comentou o superintendente técnico da CBV, Renato D''Ávila.

A Superliga, que terá cinco jogos em sua abertura, na sexta-feira, será disputada em duas fases. Na classificatória, as equipes jogarão em sistema de turno e returno. As oito melhores de cada campeonato avançam para a fase eliminatória, a partir das quartas de final, disputas em série melhor-de-três. A semifinal será definida no mesmo sistema, enquanto a grande decisão terá jogo único.

Tudo o que sabemos sobre:
vôleiSuperligalançamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.