Cimed insiste na tentativa de contratar Giba

Líder da Superliga Masculina de vôlei, com 13 vitórias em 14 jogos, o Cimed/Brasil Telecom/Florianópolis trabalha fora de quadra para contar, a partir da temporada 2009/2010, com o maior nome do vôlei mundial na atualidade. O ponteiro brasileiro Giba, atualmente no Iskra Odinstovo, da Rússia, é assediado pelo clube catarinense há quase um ano.A investida mais recente foi feita pelo ex-jogador e ex-técnico Renan Dal Zotto, recém-contratado como diretor de projetos esportivos do Grupo Cimed, do ramo farmacêutico. Ele conversou por telefone com o empresário de Giba, Jorge Assef, para negociar a contratação.O ponteiro tem contrato até março de 2010 com o Iskra Odinstovo, que é mantido por um banco russo. A equipe que quiser tirar Giba do frio russo terá de pagar uma multa rescisória milionária, cujo valor Jorge Assef se recusa a revelar. "Vôlei não é igual ao futebol, em que as negociações são abertas à imprensa", justificou o empresário.A cada ano, o valor da multa diminui, chegando a ser "irrisório", segundo Jorge Assef, às vésperas do término do contrato. O que aumenta o número de interessados. Daqui a dez dias, o empresário e Giba se encontrarão em Odinstovo, na região de Moscou, para conversar sobre o futuro.Segundo Renan, a equipe de Santa Catarina arrumaria parceiros para arcar com a rescisão contratual. "A equação para trazer o Giba exige uma série de parcerias, porque não é só um projeto para o time de vôlei, mas um negócio de marketing", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.