Classificado para Pequim, Navajas pede condições a Chávez

Técnico brasileiro quer que presidente venezuelano ajude a seleção a se preparar para a Olimpíada

Erica Akie, Jornal da Tarde

09 de janeiro de 2008 | 19h44

Com muita festa, as seleções masculina e feminina de vôlei da Venezuela foram recebidas em Caracas pelo presidente Hugo Chávez e pela ministra do Esporte, Victoria Mata, diante de centenas de torcedores. As equipes, comandadas pelos técnicos brasileiros Ricardo Navajas e Enio Figueiredo, respectivamente, conquistaram vaga nos Jogos Olímpicos de Pequim. Navajas, no entanto, não participou da cerimônia - preferiu voltar para sua casa, em Mogi das Cruzes. Contou já que conversou com o presidente venezuelano duas vezes. "Antes do Pré-Olímpico, me disse para me dedicar porque, se a gente fosse para Pequim, entraríamos para a história da Venezuela como o primeiro time do país em uma Olimpíada. Acho que cumpri o que eu tinha prometido", disse o técnico. Depois de bater os argentinos por 3 sets a 1 no último e decisivo jogo, em Formosa, na Argentina, Navajas diz que recebeu outra ligação de Chávez. "Ele me deu os parabéns e disse que o governo dará o apoio que precisaremos até a Olimpíada. Queremos só condições básicas de trabalho, como material esportivo, uma quadra boa e um local de treinamento." No feminino, com o veterano Figueiredo, a equipe bateu o Peru, em Lima, por 3 sets a 2. Depois da recepção presidencial, as equipes desfilaram em carro aberto pelas ruas da capital. Com a classificação, a Venezuela amplia para 76 o número atletas classificados para representar o país em Pequim.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.