Divulgação
Divulgação

Clubes rejeitam pedido, e RJ não poderá inscrever novos jogadores

Sem número suficiente de atletas após debandada, atual campeão da Superliga não conseguirá repor elenco

O Estado de S. Paulo

22 de janeiro de 2014 | 17h15

RIO - O RJ Vôlei não poderá inscrever novos jogadores na Superliga Masculina, após parte de seu elenco ter deixado a equipe por causa de salários atrasados. O pedido feito pelo atual campeão nacional necessitava de aprovação unânime dos outros participantes do campeonato, mas três equipes, das 12 inscritas, rejeitaram o pedido - uma se absteve.

 

Bruninho, Leandro Vissotto, Thiago Sens, Thiago Alves e Maurício deixaram o RJ Vôlei porque receberam apenas um salário na temporada, após a equipe perder o patrocínio da OGX, petroleira do grupo de Eike Batista. Com tantos desfalques, o clube tem colocado em quadra apenas 10 jogadores e improvisado atletas em posições distintas. A equipe ficou com apenas um levantador e o técnico Marcelo Fronckowiak chegou a colocar o central Rodrigão para atuar como ponteiro.

 

Até por causa da crise financeira que apresenta, o clube pretendia contratar atletas apenas para compor o elenco - até mesmo, juvenis. Durante os treinos, o RJ tem contato com o auxílio de jogadores das categorias de base do Flamengo, para conseguir fechar o grupo. O time conseguiu um patrocínio de última hora com a Oi, na última semana, mas que ainda não repõe totalmente o orçamento perdido com a saída da OGX.

 

Desde que começou a enfrentar a escassez de atletas no elenco, o RJ fez três jogos na Superliga. Perdeu para Taubaté (3 a 0) e São Bernardo (3 a 1), conseguindo vencer o Juiz de Fora.

Tudo o que sabemos sobre:
vôleiRJ VôleiSuperliga Masculina

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.