Cruzeiro derrota Vôlei Futuro e vai à final da Superliga

Num confronto cheio de rivalidade, por causa da polêmica da homofobia, o Cruzeiro derrotou o Vôlei Futuro por 3 sets a 0 (25/22, 25/23 e 25/20), na noite desta sexta-feira, em Contagem (MG). Com a vitória, a equipe mineira fechou a série melhor de três jogos em 2 a 1 e chegou à final da Superliga Masculina de Vôlei, quando enfrentará o Sesi - a decisão será em partida única, no dia 24 de abril, no Mineirinho, em Belo Horizonte.

AE, Agência Estado

15 de abril de 2011 | 22h53

O duelo entre as duas equipes, válido pela semifinal da Superliga, ficou marcado pelas ofensas ao jogador Michael, do Vôlei Futuro, que foi chamado de "bicha" pelos torcedores cruzeirenses no primeiro jogo da série, realizado no dia 1º de abril, em Contagem. Por conta disso, o Cruzeiro foi multado em R$ 50 mil pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), o que contribuiu para acirrar os ânimos.

Nesta sexta-feira, na volta do Vôlei Futuro a Contagem, os torcedores do Cruzeiro chegaram a pedir desculpas a Michael em um cartaz e ainda levaram duas bandeiras com o arco-íris, símbolo do movimento gay. Mas também houve provocação ao jogador. A torcida gritou "Richarlyson", em referência ao volante do rival Atlético-MG, que já foi envolvido em polêmicas relativas à homossexualidade.

A pressão da torcida cruzeirense ajudou bastante a equipe dentro da quadra. Diante de um adversário que não conseguiu encaixar seu melhor jogo, o Cruzeiro dominou completamente as ações e acabou vencendo por 3 a 0 - as duas partidas anteriores do confronto tinham terminado apenas em cinco sets. Assim, garantiu sua presença na grande final da Superliga, contra o time paulista do Sesi.

Tudo o que sabemos sobre:
vôleiSuperligaCruzeiroVôlei Futuro

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.