Divulgação FIVB
Divulgação FIVB

Cruzeiro é o 1º brasileiro campeão mundial de vôlei

Equipe mineira, que chegou a sua segunda final, vence o Lokomotiv Novosibirsk, da Rússia por 3 sets a 0

AE, Agência Estado

20 de outubro de 2013 | 18h29

BETIM - O Sada/Cruzeiro tornou-se neste domingo o primeiro time brasileiro campeão mundial masculino de clubes de vôlei. Jogando em casa, no Ginásio Divino Braga, em Betim (MG), a equipe mineira não tomou conhecimento do Lokomotiv Novosibirsk, da Rússia, venceu por 3 sets a 0 (parciais de 25/20, 25/19 e 25/20) e de quebra, ajudou a encerrar uma incômoda posição do vôlei brasileiro diante dos russos. Isso porque Rússia venceu o Brasil na final dos Jogos Olímpicos de Londres, no ano passado, e na decisão da Liga Mundial, em julho. O Lokomotiv também estava engasgado na garganta dos cruzeirenses, porque venceu uma batalha entre os dois times, na última quinta-feira, na fase preliminar do Mundial, em 3 sets a 2.

Esta foi a segunda final seguida do Cruzeiro no Mundial de Clubes. No ano passado, no campeonato realizado em Doha, no Catar, perdeu para o Trentino, da Itália. Agora, jogando em casa, com o apoio da torcida, conquistou um título inédito para o vôlei masculino do Brasil - antes, o melhor resultado foi o vice-campeonato do Banespa em 1990 e 1991. Então tetracampeão, o Trentino, terminou em terceiro depois de vencer o UPCN, da Argentina, mais cedo. Apesar da expectativa de um jogo parelho na decisão do Mundial, o que se viu foi um passeio dos mineiros, comandados pelo levantador e capitão William Arjona, estrela da equipe que foi vice-campeã da Superliga na última temporada - o campeão brasileiro é o RJX, do Rio.

O maior pontuador do jogo deste domingo foi um cubano: Yoandy Leal, que anotou 13 pontos para o Cruzeiro, sendo quatro de saque. Mas o time mineiro soube dividir bastante seus ataques. Wallace fez 12 pontos, Douglas 11 e Eder 10. Os russos, que tiveram em Divis seu melhor jogador, só conseguiram fazer dois pontos de bloqueio. "Nós jogamos num excelente nível. Foi uma partida excepcional para nós em todos os fundamentos. O saque foi nossa principal arma e controlamos a jogo a partir disso", comentou o técnico argentino do Cruzeiro, Marcelo Mendez.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.