Divulgação FIVB
Divulgação FIVB

Cruzeiro se recupera, bate time iraniano e vence primeira no Mundial

Mineiros venceram o Sarmaye Bank, do Irã, por 3 sets a 0, com parciais de 25/23, 25/20 e 25/22

Estadão Conteúdo

13 de dezembro de 2017 | 21h02

Depois de uma dolorosa derrota na estreia, o Sada Cruzeiro se recuperou e venceu pela primeira vez no Mundial de Clubes de Vôlei, que está sendo disputado na Polônia. Nesta quarta-feira, o time mineiro passou pelo Sarmaye Bank, do Irã, por 3 sets a 0, com parciais de 25/23, 25/20 e 25/22.

+ Sada Cruzeiro leva 3 a 0 e estreia com derrota no Mundial de Clubes

Na cidade de Opole, o Cruzeiro deixou para trás a péssima estreia, na terça, quando foi batido pelo italiano Lube Civitanova por 3 a 0. Com a vitória desta quarta, manteve-se na briga por uma vaga nas semifinais do principal torneio de clubes da modalidade, no qual luta pelo quarto título - foi campeão em 2013, 2015 e 2016.

"A gente sabia que ia ser difícil. Todos os jogos aqui são. Na minha cabeça e na de todo mundo do time, está claro que vamos disputar uma final por dia. E este campeonato está em aberto. Precisamos pensar no hoje, no que estamos jogando agora e tentar soltar o jogo. A gente carrega a pressão e a responsabilidade de estar sempre bem e, em alguns momentos, isso atrapalha. Hoje, conseguimos controlar os nervos e colocar o nosso melhor em quadra para lavar a alma e nos deixar vivos no campeonato", comentou Serginho.

O Cruzeiro ocupa a terceira colocação do Grupo A do torneio, com os mesmos três pontos do polonês Zaksa Kedzierzyn-Kozle, mas com desvantagem nos critérios de desempate. Os dois times se encaram nesta quinta, às 14h30 (horário de Brasília), e quem vencer se juntará ao Lube Civitanova como classificados às semifinais.

"Amanhã, será outra guerra, principalmente por ser contra o time da casa. Deve ser o jogo que decide a vaga na semi e precisamos pensar ponto a ponto, em cada ação, como fizemos hoje", considerou o líbero.

Nesta quarta, o Cruzeiro entrou em quadra com Nico Uriarte, Evandro, Filipe, Leal, Simon, Isac e o líbero Serginho. Ainda sem repetir as boas atuações da última Superliga, na qual foi campeão, o time mineiro suou bastante para fechar o primeiro set.

Por mais que se mantivessem no comando do placar, os brasileiros sofriam e não conseguiam disparar. O equilíbrio foi mantido nas duas parciais seguintes, que foram para a reta final bastante parelhas. Mas aí, falou mais alto a experiência da equipe, que buscou a importante vitória.

Tudo o que sabemos sobre:
Cruzeiro Esporte Clube

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.