De volta à seleção, Minuzzi sonha com o Mundial

Depois de ser submetido a uma cirurgia para a retirada de um aneurisma na aorta, Roberto Minuzzi voltou a ser convocado para a seleção brasileira masculina de vôlei. Agora, a sua luta é para conquistar um lugar entre os 12 jogadores que vão representar o Brasil no Mundial do Japão, entre os dias 17 de novembro e 3 de dezembro. ?Após 1 ano e quatro meses estou recuperado e no mesmo lugar onde descobri o meu problema. Isso tem um gostinho especial?, admitiu o atleta de 25 anos. Em Saquarema, cidade do Rio onde a seleção treina, Minuzzi reencontrou a juventude roubada por alguns meses. ?Tinha dificuldades para caminhar, passei por uma cirurgia no coração, estava na lama e as pessoas até duvidavam de mim. Mas acho que estar aqui de novo é a prova de que posso superar?, disse o jogador. Agora, a cada seis meses ele se submete a uma bateria de exames para monitorar a recuperação, como ocorreu na última terça-feira, quando precisou deixar o Centro de Desenvolvimento do Vôlei, em Saquarema. ?Recuperar-me da operação, voltar a treinar e a convocação já foram vitórias neste ano. Mas estamos em outubro e não posso comemorar. Devo querer sempre mais?, avisou. O próximo objetivo de Minuzzi é assegurar uma vaga no grupo que disputará o Mundial. Em sua posição, Giba e Dante já estão assegurados na seleção. Assim, ele disputa as duas vagas restantes com seu companheiro de clube no Minas Tênis, Samuel, e Murilo. Samuel e Murilo estão em vantagem na preferência do técnico Bernardinho, por causa do condicionamento físico. Só que, como ressaltou o próprio treinador, Minuzzi tem o trunfo da experiência a seu favor. ?Sei que chego um pouco atrás. Só que o Bernardinho não me convocou à toa?, afirmou Minuzzi. ?Temos duas semanas de treinamento e, ao final, vou estar em 100% das condições físicas. Pronto para jogar.? ?Entrei nos amistosos feitos pela seleção de novos contra a Argentina (nos dias 12 e 13 de outubro) e lá vi que estou recuperado. Agora é só treinar que até o final chegarei lá?, prometeu Minuzzi.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.