Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE
Wander Roberto/Inovafoto/CBV
Wander Roberto/Inovafoto/CBV

De volta às quadras, Brasil vence com facilidade 1º amistoso contra Venezuela

Equipe ganhou por 3 sets a 0 - parciais de 25/19, 25/17 e 25/19 - na Arena Carioca 3, no Rio de Janeiro

Redação, O Estado de S.Paulo

21 de maio de 2021 | 22h12

O vôlei brasileiro só ganhou boas notícias nesta sexta-feira. Depois de o técnico Renan Dal Zotto receber alta do hospital após mais de um mês internado com covid-19, o Brasil venceu nesta noite o primeiro de três amistosos contra a Venezuela por 3 sets a 0 - parciais de 25/19, 25/17 e 25/19 - na Arena Carioca 3, no Rio de Janeiro.

Dirigida pelo auxiliar de Renan, Carlos Schwanke, a seleção brasileira entrou em quadra com Bruninho, Wallace, Lucarelli, Douglas Souza, Lucão, Isac e o líbero Thales. A partir da metade do segundo set, a comissão técnica fez várias substituições.

"Acho que foi tudo positivo. O mais importante foi começar a jogar. A gente estava há muito tempo só treinando, e a ansiedade ficava aumentando para botar tudo em prática. Acho que foi uma boa oportunidade para o time. A gente conseguiu uma boa performance com o time que a gente pensou para os dois primeiros sets, começamos a fazer as mudanças, e todos reagiram muito bem, entraram com uma boa performance. É continuar assim", analisou Schwanke.

A seleção voltou a atuar após mais de um ano sem jogos devido à pandemia de covid-19, que alterou significativamente o calendário do vôlei mundial. A equipe usa esses amistosos contra os venezuelanos como preparação para a Liga das Nações, principal aquecimento para os Jogos Olímpicos de Tóquio.

Um ano e pouco sem vestir a amarelinha e estou muito feliz e muito grato por estar podendo viver isso aqui de novo", disse o ponteiro Douglas Souza, eleito o melhor em quadra.

"Isso aqui foi só um amistoso, mas a gente tem muito para evoluir ainda como time, como equipe. Lá na semana que vem, na Itália a gente vai ter desafios ainda maiores, e a gente está ajustando e tentando buscar nosso melhor", acrescentou o campeão olímpico.

Antes do início da partida, os jogadores receberam uma mensagem do técnico Renan, que já estava em casa, continuando sua recuperação. O recado serviu como uma motivação a mais para a equipe, que passou com tranquilidade pela seleção venezuelana. A exceção do início do primeiro e segundo set, em que houve uma demora para engrenar, o Brasil fez um jogo consistente e venceu com autoridade.

A partir da metade da segunda parcial, Schwanke aproveitou a folga no placar para testar alguns atletas, como Fernando Cachopa e Fernando Roque, além de Vaccari. O ritmo com os suplentes não caiu e a vitória foi assegurada no Rio de Janeiro.

A seleção volta a enfrentar a Venezuela, que também garantiu vaga na Olimpíada de Tóquio, neste sábado, às 17h, e no domingo, às 10h.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.