Wilton Júnior/AE
Wilton Júnior/AE

Derrota na final da Superliga abala jogadoras do Finasa

Equipe com quatro campeãs olímpicas no elenco lamenta novo resultado negativo contra o Rexona

Redação,

20 de abril de 2009 | 20h10

Único representante paulista nas finais da Superliga de vôlei, o Finasa/Osasco (SP) não consegue esconder a tristeza por ter sido mais uma vez superado pelo Rexona/Ades (RJ) na decisão do torneio feminino. No último domingo no Maracanãzinho, o time perdeu pela quarta vez seguida a decisão da competição para as cariocas.

"Infelizmente, não fizemos mais uma vez o suficiente para vencer. Eu tinha certeza de que venceríamos, mas por algum motivo inexplicável não deu", lamentou a ponta Paula Pequeno, que ainda sente dores no joelho esquerdo e nos próximos dias deverá submeter a uma artroscopia.

"Fica muito difícil explicar quando se perde. A gente acaba descobrindo um monte de erros que não acharíamos em caso de vitória e o jogo foi muito equilibrado", afirmou a atleta, eleita a melhor jogadora na vitoriosa campanha da seleção brasileira nos Jogos Olímpicos de Pequim.

Já a meio-de-rede Thaísa acredita que o Finasa não soube jogar atrás no marcador. "Acho que ficamos na dependência de uma ou outra jogadora e não pode ser assim. Não soubemos jogar atrás e virar o placar. Temos time de sobra em quadra, mas temos de ser mais decisivas."

O técnico Luizomar de Moura, por sua vez, prefere elogiar o adversário. "Foi um jogo digno de final. A nossa equipe mostrou muita vontade, mas erramos em alguns momentos importantes. O Rexona mereceu a vitória e o título."

Em toda a competição, o Finasa disputou 31 partidas, com 24 vitórias e sete derrotas, sendo quatro delas para as campeãs do Rio de Janeiro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.