Divulgação
Divulgação

Douglas Souza avisa que continuará jogando vôlei em clubes e relata sua luta contra a depressão

Atleta anunciou aposentadoria da seleção brasileira, mas se manterá ativo no esporte

Paulo Favero, O Estado de S.Paulo

25 de março de 2022 | 17h46

Um dos principais jogadores de vôlei do Brasil, Douglas Souza anunciou sua aposentadoria da seleção brasileira, mas não das quadras. Ele ainda procura um clube para a próxima temporada e revelou que pretende atuar em alguma equipe de São Paulo. No momento, ele vem treinando para se manter em forma e está cuidando de sua saúde mental, pois teve depressão faz pouco tempo. Douglas também foi confirmado, nesta sexta-feira, como um dos integrantes da próxima Dança dos Famosos.

"Nós atletas somos muito acostumados a viver sob pressão, longe da família desde muito cedo, então chegou um momento da vida em que está tudo bem você falar assim: 'Não, gente, eu preciso de um respiro, preciso buscar ajuda, preciso cuidar da minha saúde mental' e isso não é nenhum crime, você não está matando ninguém", disse o atleta.

Ele reforça que é importante romper esses paradigmas no esporte, como fizeram recentemente a ginasta Simone Biles, a tenista Naomi Osaka e o surfista Gabriel Medina, todos que abriram mão de competir para cuidar da saúde mental. "Eu sou a própria quebra de tabu", brinca Douglas.

"Eu acho superimportante falar disso porque são assuntos que sempre existiram no esporte, sabe? Eram tabus muito grandes, mas que sempre existiram e que a gente precisa falar em 2022 para eles serem quebrados, isso é muito importante. Hoje em dia não pode mais ser um tabu. Tem que ser algo natural. Você está se cuidando por você mesmo, além de se ajudar. Eu, por exemplo, também ajudo a minha família inteira."

Apesar das dificuldades, que contribuíram para ele rescindir contrato na Itália e voltar ao Brasil, Douglas continua treinando para jogar na próxima temporada. "Agora eu estou em um período mais de treinamento. As pessoas estavam muito acostumadas a me ver o tempo todo em quadra jogando, toda semana e tal. Então, agora, eu não estou nesse nesse período de campeonato. Eu estou um pouco mais em casa, me cuidando e fazendo academia", conta.

Para além de seu trabalho como jogador, Douglas tem se dedicado às lives no Facebook Gaming, que é algo que ele curte e tem ajudado a lidar com a depressão. "Agora também sou streamer do Facebook, então estou produzindo meu conteúdo lá. Eu me divirto muito e isso me ajuda muito também, pois me aproxima do público. A galera está ali comigo todos os dias, eu fico quatro ou cinco horas ali sentado jogando alguma coisa e conversamos de tudo, de várias coisas da vida. Então, para mim tá sendo muito bacana, pois você tem uma interação e consigo juntar a tribo do game e a tribo do vôlei."

Esse lado de streamer ajudou durante essa pausa na carreira. "Acho que está sendo muito positivo e precisava disso para voltar com tudo. Eu voltei da Itália com muito traumas. Eu passei muitas coisas lá, mas eu já estou me cuidando muito bem. Eu estou com minha psicóloga maravilhosa, que eu conheço há anos, desde a época em que eu jogava no Sesi, em 2014. Ela é maravilhosa", explica.

Como a temporada de clubes no vôlei já está na reta final, Douglas está esperando o encerramento para acertar com alguma equipe. "Quando eu rescindi com o clube na Itália, em dezembro, não era o plano voltar pro Brasil para jogar já essa temporada, era para jogar na próxima mesmo, porque eu precisava realmente cuidar de mim. Eu estou negociando com os clubes em São Paulo, pois minha preferência é jogar aqui, perto dos amigos e da minha família."

Ele vem tendo conversas com Campinas, São José e Guarulhos, mas garante que ainda tem muito a ser debatido para bater o martelo. "Não tem nenhuma negociação avançada, não falamos de dinheiro, nada disso, está na fase de namoro. As equipes paulistas estão no radar, e a temporada vai acabar daqui a um mês mais ou menos. Aí vamos encaminhar para uma negociação mais concreta", avisa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.