Dupla Emanuel e Ricardo volta a jogar depois de Pequim

Após a conquista do bronze olímpico na capital chinesa, brasileiros disputam torneio em Vila Velha

Redação,

25 de setembro de 2008 | 18h38

Até agora, em 2008, 30 jogos em seis etapas, com 30 vitórias e seis títulos e a invencibilidade no Circuito Banco do Brasil 2008. É com esse retrospecto que, depois de cinco meses de intervalo no campeonato, Emanuel e Ricardo entram em quadra na manhã desta sexta-feira, dia 26, na arena montada na Praia da Costa, na capixaba Vila Velha.Esta será a primeira competição da dupla medalha de ouro nas Olimpíadas de Atenas/2004 após a conquista do bronze nas Olimpíadas de Pequim/2008. O baiano Ricardo, recuperado de uma fratura no pé direito, está pronto para lutar por mais um título e vai contar com uma torcida muito especial em areias capixabas."Ter parado as últimas semanas foi importante para poder recuperar completamente da lesão. Consegui treinar bem nos últimos dias, sem sentir dores, sem limitação de movimentos, e cheio de vontade de entrar em quadra para jogar. Jogar aqui em Vila Velha vai ser ainda mais especial porque meus filhos, Pedro e Giulia, vão estar torcendo por mim", frisou Ricardo.Para Emanuel, voltar ao estado é especial, afinal, foi onde o paranaense iniciou sua vitoriosa carreira nas praias."Comecei a jogar vôlei de praia em Vitória, foi aqui no Espírito Santo que minha carreira começou. Deixei muitos amigos aqui e, toda vez que passo por aqui, é sempre muito legal rever essas pessoas, pois um pouco da minha história no esporte foi escrita aqui", comentou. "Estamos voltando a competir depois de um mês, Ricardo está recuperado e temos um objetivo para esse fim de temporada que é lutar pelo título do Circuito Brasileiro. E vamos lutar por isso", assinalou Emanuel.Antes da etapa de Vila Velha (ES), Emanuel e Ricardo venceram em Xangri-Lá (RS), Florianópolis (SC), Foz do Iguaçu (SC), Campo Grande (MS), Cáceres (MT) e Brasília (DF).

Tudo o que sabemos sobre:
vôlei de praiaEmanuel e Ricardo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.