Divulgação/CBV
Divulgação/CBV

Duplas brasileiras caem nas quartas e País fica sem chances de título em Itapema

Ágatha/Duda e Talita/Taiana são derrotadas para norte-americanas e holandesas, respectivamente

Redação, Estadão Conteúdo

18 de maio de 2019 | 13h22

O Brasil não tem mais chances de título na etapa de Itapema (SC) do Circuito Mundial de Vôlei de Praia. Neste sábado, um dia depois de todas as duplas masculinas serem eliminadas, Ágatha/Duda e Talita/Taiana, únicas que estavam vivas entre as mulheres, se despediram da competição de nível quatro estrelas da temporada de 2019, que vale para a corrida olímpica brasileira para os Jogos de Tóquio-2020, ao serem superadas nas quartas de final.

No segundo dos duelos envolvendo as duplas brasileiras, Ágatha e Duda foram superadas de virada em duelo muito equilibrado, decidido apenas no terceiro set, para as norte-americanas April Ross e Alix Klineman por 2 a 1 (25/27, 21/18 e 15/13).

Duda analisou o resultado e já projetou os próximos passos da equipe. "O duelo contra April e Alix foi assim nas últimas oportunidades, decidido no tie-break, em placares muito apertados. Elas são um time muito bom, forte, temos que encontrar saídas. Estamos trabalhando, vamos estudar e procurar entender o que podemos melhorar. É assim que vamos crescendo, aprendendo com os erros. Vamos para a próxima, já pensar no torneio na China. São várias competições no ano e temos que olhar adiante", afirmou. O próximo desafio das equipes do Brasil é já nesta semana na etapa Jinjiang, em solo chinês.

Talita/Taiana foi a primeira dupla a entrar em quadra, encarando as holandesas Joy Stubbe/Van Iersel, que levaram a melhor por 2 sets a 0 (26/24 e 21/17). O quinto lugar rende 480 pontos no ranking e uma premiação de cerca de R$ 24 mil. Talita analisou o resultado, que mantém a dupla na segunda posição da corrida olímpica.

"O time da Holanda atuou melhor do que nós, as duas sacaram muito bem, a Van Iersel deu um show de defesas. Não conseguimos ajustar o nosso sistema defensivo, tivemos poucos bloqueios e defesas, isso foi o diferencial da partida. Agora é pensar no próximo torneio, estamos indo passo a passo. Ainda estou me adaptando ao retorno, só meu segundo torneio no Circuito Mundial desde que retomei a carreira. Estou feliz, conseguimos fazer bons jogos", disse.

Tudo o que sabemos sobre:
vôlei de praia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.