Divulgação/CBV
Divulgação/CBV

'É absurdo o que está acontecendo no Brasil, incapacidade de governar', diz Carol Solberg

Atleta comenta sobre dificuldade de manter a cabeça no lugar para competir em meio à pandemia

Redação, O Estado de S.Paulo

21 de março de 2021 | 17h12

A jogadora de vôlei de praia Carol Solberg falou sobre a pandemia de covid-19 e lamentou as mortes no país em decorrência do coronavírus. A atleta comentou seu ponto de vista em uma entrevista no sábado à noite, após se classificar para a final da 8ª etapa do Circuito Brasileiro de Vôlei de Praia, em Saquarema.

"Tem sido muito duro manter a cabeça boa. A gente vivendo uma pandemia, completando 290 mil mortes. Eu acho que a gente precisa ter consciência disso como atleta. É um desafio muito grande manter minha cabeça boa, concentrada, durante as preparações para os jogos. Então, a gente, como atleta, precisa ter consciência disso. É absurdo o que está acontecendo no Brasil, tristeza, incapacidade de governar", afirmou Solberg. No sábado, o Brasil registrou 2.331 mortes pela covid-19 nas últimas 24 horas e totalizou 292.856 óbitos.

Neste domingo, Carol e sua parceira, Bárbara Seixas, foram derrotadas na decisão por Ágatha e Duda, que conquistaram o primeiro título do Circuito Brasileiro de vôlei de praia juntas. A vitória de Agatha e Duda foi conquistada por 2 sets a 0, com duplo 21/17.

Em 2020, Solberg criticou publicamente o presidente ao gritar 'fora Bolsonaro!' após o término da primeira etapa do Circuito Brasileiro de Vôlei de Praia, em 20 de setembro. Por conta da atitude, Solberg chegou a ser denunciada ao STJD.

O Subprocurador Geral do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) do Voleibol, Wagner Dantas, encaminhou então a denúncia para a secretaria do STJD. No julgamento em primeira instância, em 13 de outubro, Solberg foi condenada por 3 votos a 2 - a punição foi uma advertência, da qual ela recorreu. Por 5 votos a 4, o pleno do tribunal optou por rever a decisão anterior e a absolveu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.