Reprodução/USA Volleyball Twitter
Reprodução/USA Volleyball Twitter

Estados Unidos vencem a China e vão pegar o Brasil na decisão da Liga das Nações

Atuais campeãs da competição, norte-americanas levaram a melhor por 3 sets a 1, com parciais de 25/11, 15/25, 25/17 e 25/20

Redação, Estadão Conteúdo

06 de julho de 2019 | 11h14

A seleção feminina de vôlei dos Estados Unidos venceu a China por 3 sets a 1, com parciais de 25/11, 15/25, 25/17 e 25/20, neste sábado, na casa da rival, em Nanquim, e avançou para enfrentar o Brasil na decisão da Liga das Nações.

Horas mais cedo, a equipe brasileira superou a Turquia por 3 a 0, com 25/23, 25/15 e 25/10, na outra semifinal, e se credenciou para lutar pelo título. O confronto diante das norte-americanas começará às 8h30 (de Brasília) deste domingo, quando a disputa do terceiro lugar da competição, entre turcas e chinesas, ocorrerá a partir das 4h.

Com 21 pontos cada, Andrea Drews e Michelle Bartsch-Hackley foram os principais destaques do triunfo norte-americano sobre as chinesas, que tiveram Yanhan Liu como maior nome ofensivo, com 17 acertos. Com 15 pontos, Kelsey Robinson foi outra jogadora dos EUA importante para a vitória sobre as anfitriãs desta fase final do torneio.

As norte-americanas são as atuais campeãs da Liga das Nações, competição que teve a sua primeira edição no ano passado e passou a substituir o Grand Prix no calendário do vôlei feminino. E na última sexta-feira, em um jogo no qual o técnico José Roberto Guimarães poupou as suas principais titulares pelo fato de o Brasil já estar classificado às semifinais, os Estados Unidos superaram a equipe nacional por 3 sets a 1.

E, ao comemorar a vitória sobre a Turquia, o treinador exaltou o peso que teve o descanso dado para algumas atletas, que voltaram com energia renovada para no duelo deste sábado no qual as brasileiras arrasaram as turcas nos dois últimos sets do jogo.

"Depois de todas as dificuldades que tivemos com os problemas físicos e diferentes fusos (horários), é muito bom chegar na final. No jogo de ontem contra os Estados Unidos foi importante termos preservado algumas jogadoras para o duelo de hoje. Nosso time teve espírito, jogou bem taticamente e o sistema defensivo funcionou ao longo do jogo. Hoje não perdemos o foco durante toda partida e isso foi muito positivo", disse Zé Roberto.

A ponteira Natália, maior pontuadora no duelo contra a Turquia, com 15 acertos, também exaltou o empenho exibido pelas jogadoras nesta desgastante caminhada até a decisão - foram 15 jogos na fase de classificação e mais três no estágio final do torneio.

"Estamos muito felizes. Essa é a nossa primeira final de Liga das Nações. Hoje jogamos com muita garra e fomos agressivas ao longo de toda a partida. Tínhamos perdido as últimas partidas para elas e queríamos muito essa vitória. A Liga das Nações é uma competição longa e nos dedicamos muito para chegar nesse momento. O time está de parabéns pelo resultado e por toda a dedicação ao longo da Liga das Nações", afirmou a jogadora.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.