Andre Dusek/AE - 23/04/2011
Andre Dusek/AE - 23/04/2011

EUA veem novatos do Brasil em xeque no vôlei de praia

Segundo os campeões olímpicos Phil Dalhausser e Todd Rogers, novas equipes não causam temor

Paulo Favero - Enviado Especial, O Estado de S.Paulo

25 de julho de 2012 | 10h19

LONDRES - Atual campeões olímpicos no vôlei de praia, com o ouro obtido em Pequim/2008, os norte-americanos Phil Dalhausser e Todd Rogers afirmaram nesta quarta-feira, 25, em Londres, que veem a falta de experiência de dois brasileiros em olimpíadas na modalidade como um fator que pesa contra eles nestes Jogos de Londres.

 

O Brasil será representado por Alison/Emanuel e Ricardo/Pedro Cunha no torneio masculino da modalidade, sendo que Emanuel e Ricardo foram campeões olímpicos atuando juntos em Atenas/2004. E, agora, com novos parceiros, eles não são vistos com tanto temor pelos norte-americanos.

 

"O Alison e o Pedro Cunha estão jogando Olimpíada pela primeira vez, e isso pode pesar. Mas, de qualquer forma, ao lado deles estão jogadores que têm experiência olímpica e podem ajudá-los", afirmou Dalhausser, cujas palavras foram endossadas pelo seu parceiro na Olimpíada.

 

"Agora eles (Ricardo e Emanuel) estão jogando com novas duplas e têm ao lado deles jogadores inexperientes. Vamos ver como se saem com a pressão dos Jogos Olímpicos, que é diferente da do Circuito Mundial", completou Rogers, colocando em xeque Alison e Pedro Cunha.

 

Além de Dalhausser e Rogers, os Estados Unidos contarão com a dupla Jake Gibb e San Rosenthal na Olimpíada de Londres. E Gibb admitiu que a rivalidade entre Brasil e Estados Unidos no vôlei de praia é um componente extra de motivação para a busca de medalhas na capital inglesa.

 

"Vôlei de praia é muito grande no Brasil e nos Estados Unidos. Sempre tem boas equipes dos dois lados e é legal enfrentá-los (os brasileiros). É um adversário muito divertido", destacou, enquanto Rosental já vislumbra um confronto diante de atletas do Brasil após a primeira fase do torneio olímpico. "O Brasil sempre tem times de ponta e espero que a gente tenha bons jogos contra eles mais adiante na competição", afirmou.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.