Antonio Lacerda/EFE
Antonio Lacerda/EFE

EUA classificam França e eliminam o Brasil das finais da Liga Mundial

Norte-americanos fazem 3 a 1 em franceses no Maracanãzinho

Estadão Conteúdo

17 de julho de 2015 | 16h33

Os Estados Unidos derrotaram a França por 3 sets a 1 nesta sexta-feira e eliminaram o Brasil na Liga Mundial de Vôlei. Ao vencer os franceses por 3 a 1, com parciais de 25/21, 25/22, 24/26 e 25/20, no Maracanãzinho, no Rio de Janeiro, o time norte-americano buscou a classificação, garantiu também os europeus na semifinal e despachou a seleção comandada por Bernardinho. Os adversários de EUA e França serão definidos ainda nesta sexta.

Por ter perdido em sua estreia na fase final, o Brasil torcia por resultados diversos nesta sexta para avançar com uma ajuda de EUA ou da França, seus rivais em um dos dois grupos da fase final da Liga Mundial - a outra chave tem Itália, Sérvia e Polônia.

Qualquer vitória dos franceses classificava os europeus e os brasileiros. Se a França vencesse dois sets, mesmo sendo derrotada, colocaria a si mesmo e o Brasil na semifinal. O time nacional avançava também com triunfo dos EUA, desde que fosse em sets diretos. Uma vitória por 3 sets a 1 definiria os classificados na média de pontos entre as três seleções.

E foi exatamente o que aconteceu nesta sexta. Como as três equipes ficaram empatadas na pontuação e no número de sets ganhos e perdidos, o desempate aconteceu na média de pontos somados em todas as partidas desta fase final. E o time de Bernardinho, em razão da fraca atuação contra a França, levou a pior por ter somado menos pontos.

Os Estados Unidos ficaram na primeira colocação da chave, logo à frente da França. O Brasil ficou em terceiro lugar, eliminado da disputa, sem chance de buscar o 10º título da Liga Mundial neste ano, diante do seu público, no Rio.

Mesmo sem jogo do Brasil nesta sexta, o Maracanãzinho apresentou bom público para a partida entre EUA e França. Afinal, a vaga da seleção brasileira estava em jogo. Ciente das possíveis combinações de resultado, os torcedores demoraram para assumir um lado no set inicial.

Somente com a vitória dos EUA no primeira parcial é que as arquibancadas começaram a pender para o lado americano. A cada ponto, a torcida vibrava no segundo set, na atuação fulminante dos EUA, liderados por Matthew Anderson e Taylor Sander, maior pontuadores da partida, com 19 acertos cada.

A empolgação aumentou quando os americanos começaram a terceira parcial abrindo boa vantagem. A vitória, e a consequente classificação brasileira, parecia encaminhada. Até que a França iniciou sua reação. Virou o marcador e fechou o set. A partir daí, uma vitória americana por eventual 3 a 1 deixaria a classificação em suspense, uma vez que as equipes precisariam fazer contas para conhecer os classificados.

A torcida brasileira, então, decidiu mudar de lado no início do quarto set, afinal um triunfo da França no novo set garantiriam o Brasil e eliminariam os EUA - mesmo em caso de vitória dos americanos por 3 a 2. As arquibancadas do Maracanãzinho começaram a vibrar a cada ponto francês. Surpreendentemente, a torcida começou a vaiar os americanos, então "queridinhos" do público brasileiro nesta partida.

Mas o combustível da França acabou na metade do quarto set. E os Estados Unidos voltaram a impor seu jogo. Após abrirem nova vantagem no placar, já estava claro para jogadores e torcida que a soma dos pontos das equipes em todas as partidas favorecia americanos e franceses, em detrimento do Brasil. Os dois times, então, reduziram o ritmo e começaram a fazer um duelo de "compadres" até o ponto final, porque já sabiam que suas médias de pontos garantiram suas vagas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.