Finasa e Rexona fazem mais um duelo pela Superliga

Equipes se enfrentam neste sábado às 12 horas na Grande São Paulo, com seis campeãs olímpicas em quadra

Daniel Brito - Jornal da Tarde,

30 de janeiro de 2009 | 22h31

Rexona/Ades (RJ) e Finasa/Osasco (SP) se encontram neste sábado, às 12 horas, no Ginásio José Liberatti, pela 28.ª vez em Superligas desde 2004. O duelo vale pela sexta rodada do terceiro turno e só não pode ser apontado como mera formalidade porque o vencedor terá o direito de jogar em casa na decisão do turno, na próxima semana.O maior clássico do vôlei feminino nacional se repete exaustivamente porque só as duas equipes fizeram a final da Superliga nas últimas quatro temporadas. No retrospecto, vantagem ampla para o time do Rio. Desde que Bernardinho assumiu o comando do Rexona, em 2004, ele saiu de quadra vitorioso 17 vezes, contra apenas 10 do Finasa. É uma vantagem tão grande que, se fosse no futebol, as cariocas poderiam chamar as paulistas de freguesas. Mas no vôlei o respeito entre rivais é maior e dificilmente as adversárias vão dar declarações provocativas.Mesmo que se enfrentem na decisão do quarto e último turno e em alguma fase antes da final do campeonato, o time de Osasco não vai conseguir empatar com o rival em vitórias. As quartas-de-final e semifinal da Superliga são em série melhor-de-três. A decisão do campeonato ocorre em jogo único, no Rio de Janeiro, a pedido da TV Globo.O técnico Luizomar de Moura, do Finasa, tem outro ponto de vista da estatística. "Podemos falar, também, que estamos ganhando por 3 a 1 nesta temporada", rebate, lembrando dos confrontos pela Copa Salonpas e Copa Brasil, realizadas antes da abertura da Superliga.FIM DA INVENCIBILIDADEAs paulistas aplicaram a única derrota do Rexona nesta Superliga, em situação idêntica à atual. As rivais se encontraram na última rodada do primeiro turno, no Rio de Janeiro. O Rexona vinha de uma sequência de 21 vitórias na competição (somando os jogos do campeonato do ano anterior) mas caiu diante do Finasa/Osasco em três sets.Depois disso, as cariocas não perderam para mais ninguém. Devolveram até a derrota às paulistas na decisão do turno, em São Paulo, após cinco sets. "Vai ser muito equilibrado, como sempre é um jogo entre Finasa e Rexona", prevê Moura. "Já vi declarações de Bernardinho apontando nossa superioridade, mas eu não concordo, porque as duas equipes se equivalem tecnicamente."A equipe Osasco tem em seu elenco quatro campeãs olímpicas em Pequim (Carol Albuquerque, Paula Pequeno, Thaísa e Sassá), enquanto o Rexona "apenas" duas (Fabiana e Fabi). Mas Bernardinho conta ainda com a experiência da oposta Érika, medalha de bronze nos Jogos de Sydney (2000), e a ponteira Joycinha, maior pontuadora da Superliga.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.