FIVB cobra investimento do governo britânico no vôlei

Presidente da Federação, Sebastian Coe, diz que é necessário que o país destine verbas ao esporte

Agência Estado,

16 de dezembro de 2008 | 16h44

Mesmo com a crise financeira afetando os investimentos em esporte, a Federação Internacional de Vôlei (FIVB) fez um apelo para que o governo britânico financie a formação das equipes olímpicas para os Jogos de Londres em 2012. Wei Jizhong, presidente da FIVB, disse para Sebastian Coe, presidente do comitê organizador da Olimpíada de 2012, que é "imperativo" que o governo destine verbas para o vôlei e o vôlei de praia nos próximos quatro anos. A Grã-Bretanha não participou dessas disputas em Pequim, mas tem vaga garantida em 2012 por ser a nação anfitriã. "Neste momento ainda não há lugar para financiamento no vôlei ou no vôlei de praia após 31 de março de 2009", disse Wei. "No entanto, é imperativo que receba o apoio prometido do governo britânico. Chegamos a você para pedir seu apoio para a situação."A UK Sport, órgão atrelado ao governo responsável pelo desenvolvimento do esporte local e que distribui as verbas das loterias, anunciou recentemente que pretende investir 246,8 milhões de libras (aproximadamente R$ 941 milhões) em 19 esportes, como parte da meta de terminar em quarto lugar no quadro de medalhas em Londres.Desse valor, apenas 12 milhões de libras seriam destinados ao vôlei, vôlei de praia, esgrima, handebol, tiro, tênis de mesa, pólo aquático, levantamento de peso e luta. No entanto, há a promessa de conseguir outras fontes de renda para esses esportes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.