(Chris Graythen/Getty Images)
(Chris Graythen/Getty Images)

França, campeã olímpica, avisa que não disputará o Mundial de vôlei na Rússia

Seleção treinada por Bernardinho se recusa a disputar competição no país que está promovendo uma invasão na Ucrânia; FIVB cancela rodadas da Liga das Nações na Rússia

Redação, Conteúdo Estadão

26 de fevereiro de 2022 | 18h36


Na esteira dos desdobramentos da Invasão da Ucrânia pela Rússia, a FIVB (Federação Internacional de Vôlei) anunciou neste sábado, 26, que as duas rodadas da Liga das Nações, marcadas inicialmente para junho e julho deste ano, não serão mais na Rússia. As cidades substitutas serão anunciadas nos próximos dias.

Em comunicado oficial divulgado nas redes sociais, a entidade ainda confirmou que segue de perto a situação da guerra e que estuda retirar a Rússia como país-sede do Campeonato Mundial de Vôlei, que está previsto para ocorrer a partir de 26 de agosto, no segundo semestre de 2022.

O fato de a Rússia ser sede do Mundial masculino de vôlei já está provocando reações. Em nota assinada pelo presidente da Federação Francesa de Vôlei, Eric Tanguy, a seleção medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de Tóquio, que é comandada pelo técnico brasileiro Bernardinho, já se adiantou e garantiu que não participará do campeonato caso ele seja mantido no país governado por Vladimir Putin.

“A segurança de nossos caros cidadãos é nossa prioridade e faremos tudo ao nosso alcance para garanti-la durante as competições nacionais ou internacionais. No contexto e na situação atual, a França não participará do Campeonato Mundial, caso sua organização se mantenha na Rússia", afirmou Tanguy. 

Earvin N'Gapeth, ponteiro do Leo Shoes Modena, da Itália, e da seleção francesa foi sucinto nas redes sociais para concordar com a decisão. “Sem mais, obrigado”, afirmou o atleta.

Em resposta ao conflito armado, outros eventos já foram retirados do território russo. A Fórmula 1, por sua vez, anunciou na última sexta-feira que o Grande Prêmio da Rússia, que seria realizado em Sochi no mês de setembro, foi cancelado.

No futebol, a Fifa terá de tratar do calendário de seleções que disputarão a repescagem para a Copa do Mundo deste ano, no Catar. Polônia, Suécia e República Checa descartaram jogar partidas em território russo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.