Gustavo: 'Perdemos o favoritismo nos Jogos Olímpicos'

O meio-de-rede brasileiro Gustavo disse que as derrotas para Rússia e Estados Unidos na Liga Mundial de vôlei afetaram o favoritismo do Brasil ao ouro nos Jogos Olímpicos de Pequim. Veja também: Brasil perde para a Rússia na despedida da Liga Mundial "Essas derrotas afetam nosso favoritismo. Há seis equipes em condições de lutar pelo ouro. Perdemos a condição de favoritos", disse o jogador, para quem Sérvia, EUA, Rússia, Itália e Bulgária brigarão pelo título na China.  Já o capitão brasileiro Giba afirmou que o Brasil sempre será favorito, mas não é imbatível. "Quando se ganha tudo por oito anos, você é sempre favorito. Mas não somos imbatíveis. Em Pequim, serão seis equipes para três medalhas", disse.  Giba, que fez 17 pontos contra a Rússia neste sábado, disse que após o embarque para a China na terça, "será momento de uma apnéia total" nos Jogos.  "Nestas duas últimas partidas, vimos erros que passam despercebidos quando vencemos. Agora temos que consertar e, a partir de terça, será uma apnéia total", afirmou o jogador, para quem o Egito, adversário de estréia em Pequim, não será fácil.  "Não existe um adversário perfeito para a estréia nos Jogos, só teremos pauleira. Temos que encarar cada jogo como uma final", acrescentou.  Para o ponta Dante, o Brasil precisará corrigir seus erros em um tempo curto. "O tempo é curto, mas agora temos que ver o que deu errado. Temos que assistir aos vídeos, rever os jogos e corrigir os problemas", afirmou.  Já na opinião do oposto André Nascimento, o fracasso na Liga Mundial foi um sinal divino. "Deus sabe o que faz. Se ele nos tirou um título importante dentro de casa, é porque vai nos dar algo muito maior", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.