Alexandre Arruda/Divulgação
Alexandre Arruda/Divulgação

Gustavo se diz ansioso antes de volta à seleção de vôlei

Meio-de-rede reestreia na partida contra Porto Rico nesta sexta-feira, às 21h30, pela Liga Mundial

AE, Agência Estado

25 de maio de 2011 | 12h26

De volta à seleção brasileira para a disputa da Liga Mundial depois de longo tempo afastado do time comandado por Bernardinho, o meio-de-rede Gustavo não escondeu, nesta quarta-feira, a sua ansiedade para defender novamente o País. O jogador começará a consolidar o seu retorno nesta sexta-feira, quando enfrentará Porto Rico, em San Juan, às 21h30 (de Brasília), na estreia do Brasil nesta edição da competição.

Gustavo resolveu se aposentar da seleção após a disputa dos Jogos Olímpicos de Pequim, em 2008, mas foi convencido por Bernardinho a retornar e ajudar o Brasil a buscar o seu décimo título da Liga Mundial. "A ansiedade está aumentando à medida que o jogo se aproxima", afirmou o jogador, para depois acrescentar: "O momento mais emocionante será quando ouvir o Hino Nacional novamente. Neste momento entenderei o que significa vestir a camisa da seleção novamente".

Bastante experiente e considerado um dos maiores bloqueadores do mundo, Gustavo, de 35 anos, ainda mostrou humildade ao dizer também que precisa evoluir para retomar o entrosamento com os novos e antigos companheiros de seleção. "Estou progredindo, especialmente no entrosamento com os levantadores. Joguei pouco tempo com o Bruno e o Marlon, mas estamos melhorando a cada treino. Quero chegar no nível do Rodrigão, do Lucas e do Sidão (outros atletas da sua posição)", ressaltou.

Além de Gustavo, o líbero Serginho é outro medalhão que fará o seu retorno à seleção neste ano, depois de ter ficado fora da temporada passada por causa de uma lesão nas costas. O jogador, que chegou a anunciar que não iria mais defender o País para dar espaço aos mais jovens na seleção, acabou retornando ao grupo de Bernardinho após ajudar o Sesi a conquistar o título da última Superliga.

"Estou bem tranquilo para esse retorno", disse o líbero, que assim como Gustavo está com 35 anos de idade. "Após a cirurgia (nas costas), não sabia como iria reagir ao ritmo de treinamentos da seleção, que é muito intenso. Mas tudo correu bem e estou muito feliz por estar de volta. O grupo segue vitorioso e com a mesma mentalidade, e isso facilitou o meu retorno", comemorou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.