Japão bate Rússia e divide topo com China no Grand Prix de Vôlei

Jogando em casa, equipe asiática soube aproveitar fator quadra e vencer em Tóquio com parciais de 22/25, 25/20, 25/21 e 25/17

Estadão Conteúdo

20 de agosto de 2014 | 10h29

A seleção japonesa feminina de vôlei soube aproveitar o fator quadra ao estrear na fase final do Grand Prix vencendo a Rússia por 3 sets a 1, de virada, com parciais de 22/25, 25/20, 25/21 e 25/17, nesta quarta-feira, em Tóquio. O resultado deixou o Japão com três pontos, empatado na ponta com a China, que superou a Bélgica por 3 a 1, também nesta quarta, e está em vantagem nos critérios de desempate.

Após iniciar bem este estágio derradeiro da competição, a equipe nipônica voltará a jogar nesta quinta-feira, contra a Turquia, que nesta quarta-feira surpreendeu ao quebrar a invencibilidade do Brasil com uma vitória por 3 sets a 2. O resultado deixou as turcas na terceira posição na classificação, com dois pontos, enquanto as brasileiras somam um por terem vencido duas parciais neste confronto - pelo regulamento do torneio, apenas triunfos por 3 a 0 ou 3 a 1 garantem três pontos.

Na quarta posição da fase final, o Brasil assim precisa vencer a líder China nesta quinta-feira, em jogo previsto para começar às 3 horas (de Brasília), para aumentar as suas chances de conquistar o título do Grand Prix. Depois do confronto diante das chinesas, o time comandado por José Roberto Guimarães terá pela frente a Bélgica, na sexta, a Rússia, no sábado, e fecha a competição diante das japonesas no domingo.

Sem somar pontos com as derrotas desta quarta-feira, Rússia e Bélgica dividem a lanterna desta fase final. Nesta quinta, russas e belgas se enfrentam no jogo que abrirá o dia de confrontos. Já após o duelo entre brasileiras e chinesas, o Japão pegará a Turquia no encerramento do dia.

Tudo o que sabemos sobre:
vôleiGrand PrixJapãoRússia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.