Twitter Oficial / CBV
Twitter Oficial / CBV

Jaqueline chega ao Japão para substituir a lesionada Drussyla na seleção de vôlei

Ponteira lamenta ter sido convocada de última hora, mas diz estar disposta a ajudar

Estadão Conteúdo

19 Junho 2018 | 11h58

Bicampeã olímpica com a seleção brasileira de vôlei e convocada às pressas para substituir a lesionada Drussyla, Jaqueline chegou ao Japão nesta terça-feira para integrar o grupo comandado pelo técnico José Roberto Guimarães que se prepara para disputar a fase final da Liga das Nações, que ocorrerá em Nanjing, na China, entre os dias 27 de junho e 1º de julho.

+ Seleção feminina estreia contra Holanda na fase final da Liga das Nações de Vôlei

+ Seleção masculina perde no tie break e acumula quarta derrota na Liga das Nações

+ Josi e Lili faturam pela 2ª semana seguida uma etapa chinesa do vôlei de praia

O time nacional realiza um período inicial de aclimatação na cidade de Satsumasendai. E Jaqueline foi chamada pelo treinador para desempenhar o papel de ponteira da equipe após Drussyla ter retornado ao Brasil por causa de uma fratura sofrida na base do quinto metacarpo da sua mão direita.

A veterana jogadora de 34 anos encarou uma maratona de 35 horas de viagem e, após a sua chegada ao Japão, realizou apenas um treino físico leve e um trabalho de alongamento. E a ponteira não deixou de lamentar o fato de que precisou ser convocada por causa de uma lesão sofrida por uma outra atleta.

"Estou vindo para essa fase final com o objetivo de ajudar o grupo. Fiquei muito triste com a lesão da Drussyla, que fez uma grande competição. O Brasil teve uma fase de classificação muito positiva e o grupo está focado. Estou aqui disposta a ajudar da melhor forma possível. É mais um desafio na minha carreira", afirmou Jaqueline, em declarações reproduzidas pela Confederação Brasileira de Vôlei (CBV).

Zé Roberto, por sua vez, lembrou que a ponteira já atuou pela seleção nesta edição da Liga das Nações e também participou de um período de preparação no qual figurou apenas como uma possível opção a ser utilizada em caso de lesão de alguma integrante do time nacional, fato que acabou acontecendo com Drussyla.

"A Jaqueline participou dos jogos do Brasil na primeira semana da Liga das Nações em Barueri. Depois ela ficou treinando em Saquarema como líbero e atacante para qualquer emergência. Ela foi chamada para nos ajudar nesta fase final. Como ela treinou nas duas posições e está em forma, vai poder nos ajudar na etapa decisiva", afirmou o comandante.

O primeiro jogo do Brasil no estágio decisivo da Liga das Nações será no dia 28 de junho, às 8h15 (de Brasília), contra a Holanda. No dia seguinte, às 9h30, o time nacional terá pela frente a China, dona da casa.

Além de Jaqueline, a seleção será representado nesta próxima fase pelas levantadoras Roberta e Macris, pelas opostas Tandara e Monique, pelas centrais Adenízia, Bia, Mara e Carol, pelas ponteiras Gabi, Amanda e Rosamaria e pelas líberos Suelen e Gabiru.

Na fase final, as cinco seleções mais bem colocadas na etapa classificatória (Estados Unidos, Sérvia, Brasil, Holanda e Turquia), além da China, país-sede, foram divididas em dois grupos de três times cada, sendo que no Grupo A estão Brasil, Holanda e as anfitriãs, enquanto o Grupo B conta com norte-americanas, sérvias e turcas.

As equipes se enfrentarão dentro de suas chaves e as duas mais bem classificadas vão às semifinais da competição, que vive a sua primeira edição com o nome Liga das Nações após substituir no calendário o Grand Prix, do qual o Brasil é o maior vencedor, com 12 títulos, e também o atual campeão.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.