Jogador e seleção russa são liberados para o Rio-2016 após doping

Alexander Markin estava suspenso após encontrarem a substância Meldonium em exame

Estadão Conteúdo

28 de abril de 2016 | 15h28

O painel disciplinar da Federação Internacional de Vôlei (FIVB) anunciou nesta quinta-feira a decisão de liberar o jogador da seleção da Rússia Alexander Markin, que estava suspenso preventivamente após ser flagrado em exame antidoping durante o Pré-Olímpico Europeu, em janeiro. A Rússia também foi liberada para disputar normalmente os Jogos Olímpicos do Rio, em agosto.

A decisão da FIVB, pelo que explicou a entidade, está relacionada à instrução da Agência Mundial Antidoping (Wada, na sigla em inglês), de não punir os atletas que forem flagrados pelo uso da substância proibida Meldonium antes de 1.º de março e com baixa concentração da substância no sangue - abaixo de 1 micrograma por mililitro.

Markin caiu no doping no dia 9 de janeiro, com uma concentração de 0,3 microgramas por mililitro, o que indica, no entender da FIVB, que ele não ingeriu Meldonium a partir do dia 1.º de janeiro, quando a substância entrou na lista de proibidas pelo Código Mundial Antidoping. Até o ano passado, ela era permitida, ainda que consumida à exaustão por atletas russos.

O painel da FIVB também entendeu que a presença de Meldonium no organismo de Markin não teve influência na classificação da Rússia para o Jogos do Rio, mantendo-se, assim, a vaga dos russos no torneio de vôlei masculino. A baixa concentração da substância, no entender da Wada e da FIVB, não gera ganho esportivo para os atletas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.