Wander Roberto/Inovafoto/CBV
Wander Roberto/Inovafoto/CBV

Jogadoras do Minas exaltam a força do grupo na conquista da Superliga de Vôlei

Macris é eleita a melhor jogadora da decisão e levantadora do torneio: 'saímos de momentos difíceis juntas, em grupo, e só assim conseguimos superar as dificuldades'

Redação, Estadão Conteúdo

06 de abril de 2021 | 09h30

Em uma final emocionante, o Minas Tênis Clube conquistou a Superliga Feminina de Vôlei. Em Saquarema (RJ), no Centro De Desenvolvimento De Voleibol, o time de Belo Horizonte derrotou o Praia Clube, de Uberlândia (MG), por 3 sets a 2 - parciais de 25/17, 13/25, 12/25, 25/18 e 15/11 - e coroou grande temporada, que teve também os títulos do Campeonato Mineiro e da Copa Brasil.

Eleita a melhor jogadora da partida final e a melhor levantadora da Superliga, Macris destacou a força do conjunto do Minas Tênis Clube na conquista. "Saímos de momentos difíceis juntas, em grupo, e só assim conseguimos superar as dificuldades. Apesar dos sets ruins, sabíamos que ia ser difícil e sabíamos também que só íamos conseguir em conjunto. A força do grupo, o trabalho do ano inteiro, todo o esforço de hoje, tudo isso foi importante para conseguir essa vitória", disse.

O treinador Nicola Negro celebrou o seu primeiro título da Superliga e enalteceu toda a dedicação do grupo mineiro. "Foi uma temporada incrível. Chegamos em Saquarema com 23 vitórias consecutivas. Baixamos um pouco o nosso nível de jogo, mas o Praia Clube cresceu de produção e vendeu muito caro a nossa conquista. Este título é muito merecido para todo esse grupo. Quero agradecer a comissão técnica e as jogadoras por toda a dedicação na temporada", afirmou.

Eleita a melhor jogadora da Superliga, Thaisa teve um torneio espetacular. Ao olhar as estatísticas da CBV, ela aparece na liderança nos rankings de ataque e bloqueio, além de ser a terceira jogadora que mais marcou pontos de saque na competição. Para ela, o momento especial é resultado de muita dedicação e trabalho árduo de toda a equipe.

"Fiquei muito triste que a temporada passada não acabou por causa da pandemia. Nessa temporada, o meu foco foi continuar a minha evolução e fiquei feliz de ter ajudado o grupo. Procurei liderar o time nos momentos de dificuldade e compartilhar um pouco da minha experiência. Esses prêmios são do grupo porque eu não jogo sozinha. Essa vitória foi do time", disse Thaisa, que ainda relembrou momentos de dificuldade na carreira.

"Passa um filme na minha cabeça e lembro tudo que passei para superar as lesões e hoje estar jogando nesse nível. Foi muito difícil passar por uma fase que fiquei desacreditada e muitos não acreditaram que poderia voltar a jogar no meu melhor nível. Só quem convive comigo sabe o que eu passei. Tenho sorte de ter um time que esteve sempre do meu lado", afirmou.

TREINADOR

A bicampeã olímpica fez ainda um agradecimento especial ao treinador. "Ele foi um cara incrível. Sempre me colocou lá em cima, mesmo quando eu achava que não estava bem. Ele sempre valorizou tudo o que conquistei e sempre falou com muito orgulho da minha carreira. O Minas também me contratou sem ter certeza que eu iria render e acreditou na minha recuperação. É muito bom voltar e trazer o título para um clube onde comecei a minha carreira", disse Thaisa.

Tudo o que sabemos sobre:
vôleiMinas Tênis Clube

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.