Jogadores elogiam qualidade do banco após vitória

Bernardinho chegou a colocar reservas em quadra na partida que garantiu o Brasil nas semifinais da Liga Mundial

AE, Agencia Estado

25 de julho de 2008 | 12h01

A vitória da seleção brasileira de vôlei sobre o Japão por 3 a 0 (25/16, 25/23 e 25/15) serviu como treino para a equipe na fase decisiva da Liga Mundial. Na opinião dos jogadores, a partida foi importante pelo revezamento no time titular, que deu ritmo a todos os atletas para a semifinal.     Veja também: Brasil bate Japão e confirma vaga na semifinal da Liga Mundial"Foi bom para pegar mais ritmo, mas o que vale agora é amanhã. O Bernardinho aproveitou pra dar ritmo ao pessoal que não estava jogando tanto. É bom porque, quando precisar, a gente contar com todo mundo", disse o oposto André Nascimento, que jogou nos dois primeiros sets e fez nove pontos.Quem também fez nove pontos foi Murilo, que aproveitou a chance de jogar no segundo e terceiro sets. "Foi importante para ganhar esse ritmo de jogo, porque amanhã será uma batalha e precisarmos de todo mundo". O adversário do Brasil na semifinal será decidido na tarde desta sexta e pode ser a Polônia, a Sérvia ou os Estados Unidos.Para Dante, é impossível escolher um adversário ideal entre as três opções. "O ideal seria que fosse o Japão", brincou o jogador, que também aprovou o revezamento na equipe. "Tem de testar todo mundo. O forte desse grupo são os 12 jogadores. O jogo teoricamente foi fácil, mas o grupo revezou, entrou todo mundo e conseguiu manter o mesmo nível."  

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.