FIVB/Divulgação
FIVB/Divulgação

Larissa projeta participação marcante no Mundial de Vôlei de Praia na Áustria

Fazendo dupla com Talita, brasileira acredita na medalha de ouro após ter sido campeã na Polônia no último fim de semana

Estadão Conteúdo

27 de julho de 2017 | 20h10

A capixaba Larissa - que recentemente conquistou a etapa da Polônia do Circuito Mundial e é medalhista olímpica (prata em Londres-2012) - demonstrou entusiasmo ao projetar a sua participação no Mundial de Vôlei de Praia, em Viena, na Áustria, que será disputado a partir desta sexta-feira. A brasileira fará dupla com Talita e está na chave A da competição.

"Esse é o torneio em que todos os atletas querem estar competindo. Já experimentei a sensação de vencer um Campeonato Mundial uma vez e espero que façamos nosso melhor aqui. Estou confiante de que se fizermos o que sabemos e jogarmos em equipe e com alegria, temos uma boa chance de conseguir uma medalha de ouro", avaliou Larissa.

Outras quatro duplas femininas e mais quatro masculinas representarão o Brasil no campeonato. A atual campeã do evento, Bárbara Seixas (medalha de prata no Rio-2016), que defenderá o título jogando ao lado da parceira Fernanda Berti, destacou a importância da preparação correta e da experiência para obter sucesso no Mundial.

"Por ser um torneio que acontece de dois em dois anos, com mais times participando, é fundamental a preparação, em todos os aspectos: físico, técnico, tático, mental e os aprendizados ao longo desse período. O fato de jogarmos muito contra os times nos permite criar novas alternativas e soluções táticas. E de nos superarmos mentalmente, além de entender a importância do torneio. O fato de ter jogado outras vezes e outros torneios nos torna mais maduros. Isso ajuda nesses momentos", analisou a carioca.

A paranaense Agatha, de 34 anos, tem opinião semelhante da colega ao frisar as vantagens que uma atleta experiente tem em uma competição deste porte, considerada a mais importante da temporada. A jogadora (também medalhista de prata no Rio-2016), que terá como companheira na areia a sergipana Duda, de 19 anos, exalta a mescla entre juventude e experiência da dupla.

"Posso considerar que, de 2015 a 2017, foram os anos com os resultados mais importantes da minha carreira. Então a bagagem que eu tenho hoje é diferente da que eu tinha quando 2015 se iniciava. Estes anos vividos me dão uma sensação de 'eu sei como é o caminho'. Mas, ao mesmo tempo, estou me sentindo totalmente aberta, criando uma nova história com a Duda, aprendendo com ela e com toda a minha equipe", avaliou Agatha.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.