Leandrão, do Cruzeiro, é o 'canhão' da Superliga

Em uma Superliga recheada de campeões olímpicos, como André Nascimento e André Heller, é o gigante Leandrão, do Sada Cruzeiro Vôlei, de Minas Gerais, quem lidera a lista dos maiores pontuadores da competição. Do alto de seus 2,08m de altura, ele cravou 230 bolas nas quadras adversárias em 14 jogos, o que dá a substancial média de 16,4 pontos por apresentação.Trocando em miúdos, o clube mineiro deve três de suas nove vitórias na Superliga à mão direita de Leandrão. Sim, porque dividindo os números do oposto em sets (de 25 pontos), é como se ele sozinho tivesse feito pontos suficientes para ganhar nove parciais.O desempenho impressionante não parece ter mexido com a cabeça do jogador. Quando se fala em sucesso, ele mantém os pés fixos no chão. "Os números são legais, mas não presto atenção nisso durante a temporada", disse o gigante da equipe mineira. "Na verdade, minha prioridade é ser campeão da Superliga."Para não se apegar aos números, Leandrão prefere não se informar sobre as estatísticas individuais. Só quando o campeonato termina ele faz seus cálculos. Em uma conta rápida, ele estima ter marcado nada menos do que 1,8 mil pontos nos últimos quatro anos. "Haja ombro", brincou, referindo-se ao esforço feito pela articulação que impulsiona o braço.Mas é preciso fazer uma ressalva: desde 2005, o oposto atuou por duas temporadas no vôlei asiático, mais fraco do que o brasileiro. Primeiro no Samsung, da Coreia do Sul, e depois no Arrows, do Japão. "Teve um jogo na Coreia em que marquei 47 pontos. Esse é meu recorde", disse.SELEÇÃO - Chegar à seleção brasileira parece um caminho natural para Leandrão. O paulista de Limeira, de 25 anos, foi convocado duas vezes por Bernardinho para o time de novatos, mas não pôde jogar a Copa América, em setembro, por causa de uma lesão na mão. Mas o exigente treinador já manifestou o interesse em elevar a média de altura da equipe nacional. O mais alto da seleção nos Jogos Olímpicos de Pequim, por exemplo, foi o meio-de-rede Rodrigão, com 2,05m. Para a Copa América, Bernardinho convocou Leandrão e outros quatro atletas mais altos do que Rodrigão. O treinador da seleção já deu um sinal a Leandrão de que deverá voltar a convocá-lo, uma vez que o oposto não foi desligado da equipe durante a Copa América, mesmo contundido.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.