Levantadora Fofão festeja ano inesquecível na carreira

Um destaques do Brasil na conquista do ouro em Pequim, ele voltou em 2008 ao voleibol nacional

Agencia Estado

29 de dezembro de 2008 | 13h57

A levantadora Fofão foi, aos 38 anos, um dos destaques da conquista da medalha de ouro do vôlei feminino brasileiro em Pequim. Mas 2008 não ficou marcado para a atleta apenas pelo título olímpico na China. A jogadora, que voltou ao Brasil para defender o São Caetano/Blausiegel (SP) na Superliga, revelou-se surpresa com tantas boas notícias em uma só temporada."Sem dúvida, esse ano vai deixar uma marca inesquecível, mas tudo ficará guardado no melhor lugar, que é no meu coração, pois nada do que for feito na minha vida será capaz de tirar esse momento da minha memória", disse.Mesmo a aposentadoria da seleção brasileira, que poderia ser encarada como um momento triste, não entrou para a memória da jogadora de forma negativa. "Eu me preparei para me despedir do grupo durante quatro anos. Não foi algo que aconteceu da noite para o dia. Eu estava bem preparada e consciente de que era aquilo que eu queria."Além da seleção brasileira, Fofão viveu um ano especial em sua carreira nos clubes. Foi em 2008, depois de receber convite do São Caetano, que ela pôde voltar a jogar no Brasil após quatro anos na Europa, divididos entre Itália e Espanha."Eu queria muito que esse fosse um ano diferente, especial, mas foi melhor do que eu poderia imaginar. Queria muito a medalha, mas não sabia se conseguiria voltar ao Brasil. Já estava com saudades de jogar no Brasil, perto das pessoas que eu gosto", afirmou.

Tudo o que sabemos sobre:
vôleiSão Caetano/BlausiegelFofão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.