Marko Djurica/Reuters
Marko Djurica/Reuters

Liga Mundial: Brasil estreia com vitória na fase final

Seleção de Bernardinho supera Cuba por 3 sets a 1 (25/18, 23/25, 25/17 e 25/19) na Sérvia

Rafael Vergueiro, estadao.com.br

23 de julho de 2009 | 14h23

A seleção brasileira masculina de vôlei estreou com vitória nesta quinta-feira na fase final da Liga Mundial, que acontece em Belgrado, na Sérvia. Contra um time de Cuba renovado, que não se classificava para as finais desde 2005, o triunfo foi por 3 sets a 1, com parciais de 25/18, 23/25, 25/17 e 25/19.

Veja também:

linkRússia faz 3 a 0 e elimina EUA da Liga Mundial

linkBernardinho espera atuação melhor contra a Argentina

linkThiago Alves festeja atuação e quer 'presente' na final

O resultado positivo deixa o Brasil muito perto da semifinal da competição. Basta superar a Argentina nesta sexta-feira, às 12h30 (de Brasília), para garantir a vaga. A seleção cubana se classificará em segundo lugar no Grupo F em caso de vitória brasileira, já que bateu os argentinos na última quarta.

No confronto desta quinta, a partida se complicou para o Brasil apenas no segundo set, quando o levantador Bruno Rezende não encontrou a sintonia necessária com os atacantes e a seleção brasileira parou no bloqueio de Cuba. Nas demais parciais, domínio absoluto dos atuais vice-campeões olímpicos sobre o tradicional rival.

O técnico Bernardinho entrou em quadra com o time que hoje é considerado o titular, formado por Giba, Rodrigão, Murilo, Bruno, o líbero Serginho, Lucas e Leandro Vissoto. Os cinco primeiros são os únicos de todo o grupo que estiveram presentes em Pequim (2008). Em alguns momentos da partida, entraram em quadra Rivaldo, Thiago Alves (destaque no saque) e o levantador Marlon.

Já os cubanos mais uma vez abusaram das pancadas, principalmente com bolas para o garoto Wilfredo León, de apenas 15 anos, revelação do vôlei do país. Mas encontraram muita dificuldade para superar o forte bloqueio brasileiro.

AJUSTES

Desde o início da Liga Mundial, Bernardinho sempre deixou claro que a nova geração da seleção brasileira ainda precisa evoluir muito para pelo menos chegar perto da eficiência da equipe anterior, que conquistou praticamente todos os títulos possíveis.

No confronto desta quinta, o time ainda cometeu alguns erros devido à falta de entrosamento e deixou Cuba crescer no jogo, mas mostrou mais uma vez que tem potencial enorme e é um dos principais favoritos para conquistar a Liga Mundial - o Brasil tenta o oitavo título, para se igualar à Itália, maior campeã de todos os tempos.

Veterano na seleção, Giba falhou mais do que o normal, principalmente no segundo set, quando chegou a pisar na linha na hora do saque no último pronto e entregou de presente ao adversário a vitória na parcial. Mas mostrou poder de reação nas parciais seguintes e foi fundamental para o triunfo brasileiro.

Entre os outros atletas mais experientes, destaque para o líbero Serginho, que mais uma vez fez defesas espetaculares e impediu que a força física do time cubano se impusesse na partida. Murilo e Rodrigão também fizeram um bom jogo.

Já o levantador Bruno ainda tenta ajustar o ponto do levantamento para os companheiros. O entrosamento devido à sequencia de jogos na Liga Mundial parece cada vez mais surtir efeito e o ataque brasileiro já é bem mais veloz do que no início da competição.

Os hoje considerados titulares Lucas e Leandro Vissoto são eficientes principalmente em dois fundamentos, considerados fundamentais por Bernardinho: o saque e o bloqueio. Por isso, quase não saem da equipe durante as partidas e se firmam entre os principais atletas neste início de novo ciclo olímpico.

DESAFIOS

Com 12 vitórias e apenas uma derrota na Liga Mundial, o Brasil não deve ter dificuldades para superar a Argentina nesta sexta, equipe com jogadores ainda muito inferiores em relação aos brasileiros.

Por isso, as atenções já ficam voltadas para a semifinal, quando os brasileiros provavelmente vão encarar o segundo colocado do Grupo F (Sérvia ou Rússia). As duas seleções estiveram na semi da Liga Mundial do ano passado e devem representar o primeiro real desafio no torneio para os comandados de Bernardinho.

(Atualizado às 17h37)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.