FIVB
FIVB

Liga Mundial e Grand Prix servirão como teste do Maracanãzinho

Competições terão apenas uma fase no Brasil neste ano

DEMÉTRIO VECCHIOLI, Estadão Conteúdo

04 de janeiro de 2016 | 08h06

Mais curtas que o usual por conta dos Jogos Olímpicos do Rio, a Liga Mundial e o Grand Prix de Vôlei terão apenas uma fase no Brasil em 2016. E tanto a competição masculina quanto a feminina passarão, no País, apenas pelo Maracanãzinho. A ideia da Confederação Brasileira de Vôlei (CBV) e do Comitê Organizador dos Jogos é que os torneios sirvam como teste do ginásio, ainda que não caracterizado como "evento-teste".

"Queríamos atender os dois técnicos e foi por isso que conversamos com o Rio-2016 para jogar no Maracanãzinho. É importante porque facilita nossa organização e para testar algumas coisas, como placar, que já vai ser novo, e os voluntários. É juntar a fome com a vontade de comer e dar aos jogadores a chance de jogar mais uma vez no Rio antes da Olimpíada", explica Ricardo Trade, CEO da confederação.

A Liga Mundial e o Grand Prix terão formatos muito parecidos em 2016, com cada time realizando nove jogos, em três sedes diferentes, em três finais de semana, durante a fase de classificação. Nas duas competições a primeira parada da seleção brasileira será no Rio, com o time feminino jogando em 9, 10 e 12 de junho e o masculino exatamente uma semana depois.

De acordo com a CBV, a decisão de escolher o Rio como sede brasileira dos dois torneios não tem a ver com economia financeira. O Comitê Rio-2016 não irá colaborar com o orçamento e todos os custos serão arcados pela CBV.

"Já estava no nosso orçamento. Eu faria em outra cidade ou aqui. Optamos por fazer aqui (Rio) porque para os nossos técnicos vai ser bom. Conversei com o Giovani (Gávio, responsável, no Rio-2016, pela organização dos eventos de vôlei) e o Agberto (Guimarães, diretor de esportes do Rio-2016) e vamos testar bastante coisa para o vôlei brasileiro", contou Trade.

O fato de que os jogos do Brasil em casa serem logo na primeira rodada tanto da Liga Mundial quanto do Grand Prix é comemorado pela CBV pensando na Olimpíada. "A preparação ficou bem bacana. A gente treina em casa, joga em casa, sai para jogar fora por três semanas e se prepara em casa."

A ideia é que os jogadores tenham cerca de 10 de dias de folga após o fim da Superliga, que terá sua decisão feminina se encerrando em 3 de abril e a masculina uma semana depois. As seleções treinam em Saquarema, jogam no Rio, e depois viajam. As mulheres jogam em Macau (China) e Ancara (Turquia) e buscam a classificação para a fase final em Bangcoc (Tailândia). Os homens viajam a Belgrado (Sérvia) e Nancy (França) e tentam chegar à fase final na Polônia.

A final da Liga Mundial está marcada para 17 de julho, exatamente um mês após seu início, enquanto o Grand Prix termina uma semana antes. Já no Brasil, o time masculino deve fazer amistosos contra os EUA. O feminino negocia para enfrentar a Polônia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.