FIVB/Divulgação
FIVB/Divulgação

Maurício Borges admite má atuação em quarto revés seguido da seleção de vôlei

Ponteiro não esconde falhas do Brasil em derrota para a Bulgária

Estadão Conteúdo

17 Junho 2018 | 18h30

Depois de começar bem a Liga das Nações, a seleção brasileira masculina de vôlei teve um desempenho a ser esquecido na quarta semana da competição, disputada na cidade de Varna, na Bulgária. Neste domingo, o time brasileiro foi superado pelos anfitriões e acumulou a quarta derrota consecutiva. O ponteiro Maurício Borges admitiu a má atuação e projetou melhora na sequência do torneio.

+ Josi e Lili faturam pela 2ª semana seguida uma etapa chinesa do vôlei de praia

"Não tivemos as atuações que gostaríamos e sabemos que é preciso melhorar para chegar ao nosso primeiro objetivo, que é conseguir a classificação. Essa semana não foi como esperávamos, mas temos que erguer a cabeça, trabalhar e seguir firme para os próximos jogos na Austrália. Juntos, vamos conseguir as vitórias nos próximos jogos", disse o ponteiro.

Apesar do resultado negativo, o time brasileiro teve atuações individuais de destaque. O oposto Wallace foi o maior pontuador da partida com 22 acertos, todos de ataque, Maurício Borges marcou 12 pontos e o central Lucão pontuou 10 vezes no revés definido no tie-break.

O Brasil soma oito vitórias e quatro derrotas seguidas na Liga das Nações: Sérvia, Alemanha, Coreia do Sul, Japão, Estados Unidos, Rússia, Irã e China foram os adversários superados. As derrotas vieram para Itália, Canadá, França e Bulgária.

A seleção brasileira agora buscará a reação na quinta e última semana da primeira, que acontecerá em Melbourne, na Austrália. O time volta à quadra nesta sexta-feira, às 8h10 (de Brasília), contra a seleção anfitriã. No sábado, às 7h10, encara a Polônia e, às 23h10 do mesmo dia (manhã de domingo na Austrália), fecha a participação contra a Argentina.

A fase final da Liga das Nações será disputada em Lille, na França, e começa no dia 4 de julho. Além da seleção do país sede, contará com os cinco melhores classificados da competição. Como os franceses estão na liderança, irão à fase final os seis primeiros da tabela de classificação.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.