Meninas do vôlei estão no caminho certo para o Mundial

A vitória do Brasil no Grand Prix de vôlei é um triunfo do técnico Zé Roberto. Ele trabalha para ter um time de jogadoras de braços fortes e que erre pouco - ?não rife a bola? - no Mundial do Japão, a partir do dia 31 de outubro. As meninas ganham folga até segunda-feira, quando se reapresentam em Saquarema para a preparação final ao Mundial. O planejamento dele visa lugar no pódio na Olimpíada de Pequim/2008. O primeiro ?paradigma? já foi rompido, observa o técnico - o Brasil está mais próximo do time mais forte (força física mesmo) do circuito internacional, que é Cuba. ?As brasileiras sempre gostaram de trabalhar muito a perna, ficar com o bumbum duro, e pouco o braço. Já conseguimos quebrar isso e elas estão até gostando de ter braços fortes. Esse trabalho de força ajuda na quadra, a aumentar o salto, a pegada na bola, a velocidade.? Além de aumentar a força das jogadoras, o técnico dá seqüência ao trabalho dos clubes na seleção para melhorar a técnica das atletas e reduzir o número de erros ?bobos? durante o jogo.?Não dá para perder pontos com erros como dois toques, falta de cobertura no ataque ou de precisão no saque. Não tenho estatísticas, mas o time não rifa mais a bola, consegue colocar o adversário em situação difícil.? Melhor do campeonato é brasileira Eleita a melhor jogadora do Grand Prix, a oposto Sheilla - ?Fenômeno?, como é chamada pelas companheiras de seleção brasileira numa referência ao craque Ronaldo - vem ganhando importância desde que chegou ao grupo, em 2004, depois da Olimpíada de Atenas - ela é a responsável por ?virar as bolas de segurança? do time comandado por José Roberto Guimarães.

Agencia Estado,

10 Setembro 2006 | 18h44

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.