Meninas do vôlei questionam o técnico

Descontentes com o rendimento e os resultados da seleção brasileira feminina de vôlei após a saída do técnico Bernardinho, algumas jogadoras do time decidiram conversar com o atual treinador, Marco Aurélio Motta, antes da Copa dos Campeões, em novembro, no Japão. A atacante Virna, uma das mais experientes do grupo, não quis comentar o assunto. Diz apenas que esse tema tem de ser discutido internamente. Várias atletas, porém, confirmam que estão sentindo diferença entre os trabalhos dos dois treinadores e algumas teriam até pensado em pedir dispensa."Estamos assustadas", admitiu Érika, que, ao lado de Elisângela e Walewska, trabalhou com Bernardinho na seleção e no clube e resolveu falar com Marco Aurélio. "Queríamos criar mais vínculo, trocar idéias, mostrar que estamos a fim de ajudar, mas ao mesmo tempo sentimos essa diferença. Éramos mais cobradas, tínhamos mais pressão e também resultados", explicou a jogadora.Nesta temporada, o Brasil ficou em quinto lugar no Grand Prix e conquistou os títulos do Sul-Americano e do classificatório para o Mundial de 2002, na Alemanha. "Não existe crise. Conversamos coisas internas e a seleção saiu fortalecida", declarou Marco Aurélio, para quem as atletas estão passando por uma fase de amadurecimento. "Elas precisam ter segurança nelas mesmas e não só no técnico. Não quero jogadoras teleguiadas."Essa situação na seleção feminina pode estar sendo agravada por causa do sucesso do grupo masculino, dirigido agora por Bernardinho. O Brasil venceu todas as competições que disputou nesta temporada: Liga Mundial, classificatório para o Mundial de 2002, Sul-Americano, Copa América e o torneio amistoso Consorzio di Metano Vallecamonica.O último sucesso do masculino aconteceu no domingo à noite, quando a seleção brasileira superou os cubanos por 3 a 0 (25/20, 25/19 e 25/23) na decisão da Copa América, em Buenos Aires (Argentina). O levantador Maurício, o mais experiente da equipe, disse que o Brasil "deve tudo isso ao Bernardinho".

Agencia Estado,

08 de outubro de 2001 | 21h20

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.