Alessandro Iwata/Divulgação
Alessandro Iwata/Divulgação

Michael se diz surpreendido com manifestação da torcida em seu apoio

Atleta do Vôlei Futuro afirma ter ficado muito feliz com apoio das arquibancadas na semifinal

estadão.com.br

09 de abril de 2011 | 17h42

SÃO PAULO - Na disputadíssima partida entre Vôlei Futuro e Sada Cruzeiro o bom voleibol apresentado por ambas as equipes acabou ficando em segundo plano. O que mais chamou atenção no estádio Plácido Rocha, em Araçatuba, foi a enorme manifestação da torcida e do time do Futuro em apoio ao atleta Michael dos Santos, que na primeira partida, fora de casa, sofreu ataques homofóbicos da torcida adversária.

Torcida e time fizeram sua parte para protestar contra o preconceito. Os torcedores exibiram um bandeirão com os dizeres "Vôlei Futuro contra o preconceito", além de pintarem o ginásio de rosa ao usarem bate-bate dessa cor. Já os atletas entraram em quadra com um uniforme de treino rosa e o líbero Mário Jr. Usou uma camiseta com as cores do arco-íris, símbolo do movimento LGBT.

Sobre as manifestações de torcida e time, Michael não escondeu que ficou muito feliz com tudo que aconteceu neste sábado. " O jogo vai ficar na memória de muita gente, eu não imaginava que isso fosse acontecer, me surpreenderam. A torcida foi linda, carinhosa e fizeram uma manifestação saudável, acho que ninguém nunca deve ter visto algo parecido no meio esportivo aqui no Brasil. Agradeço muito a todos e confesso que fiquei muito feliz com o apoio", disse Michael dos Santos.

O técnico Cezar Douglas elogiou sua equipe, sem esquecer da manifestação que veio das arquibancadas. " Hoje o público deu uma aula de socialismo em relação ao preconceito, o show foi dentro e fora de quadra. A equipe conseguiu se sobressair nos detalhes e a torcida foi maravilhosa, todos estão de parabéns", avaliou Cezar.

Veja também:

link Após polêmica, Vôlei Futuro empata semi da Superliga

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.