Montes Claros vence e acaba com série invicta da Cimed

Atual campeã da Superliga masculina de vôlei, a Cimed/Malwee não resistiu à pressão do Montes Claros/Funadem nesta quinta-feira e sofreu a sua primeira derrota na competição. Jogando em Minas Gerais, a equipe catarinense perdeu por 3 sets a 1, com parciais de 34/32, 25/20, 26/28 e 25/16.

AE, Agencia Estado

15 de janeiro de 2010 | 00h06

Com a derrota, a Cimed perdeu a liderança da classificação geral para o Sesi, que tem 20 pontos. Os catarinenses somam 19 pontos, mas possuem um jogo a menos que o novo líder. Já o Montes Claros tem 17 e entrou na briga pelas primeiras posições da tabela.

O Sesi alcançou a ponta, após 11 rodadas, ao bater o Santo André por 3 sets a 0, parciais de 25/17, 31/29 e 25/17). O destaque do jogo foi Murilo, que chegou à marca de 1500 pontos na história da Superliga - apenas 20 jogadores alcançaram tal feito.

O Pinheiros/Sky, por sua vez, consolidou sua reação na Superliga mesmo sem Gustavo e Giba, machucados. Em São Paulo, superou a Ulbra/São Caetano por 3 sets a 0, parciais de 25/23, 25/17 e 28/26, e chegou a sua segunda vitória seguida na competição.

Dessa forma, a equipe aliviou a pressão que crescia por causa dos maus resultados. Nas últimas rodadas, o Pinheiros caiu diante do Sada Cruzeiro e da Cimed. Com o resultado desta quinta, os paulistas seguem na disputa pelo topo da tabela.

"Conseguimos imprimir o nosso ritmo. Jogamos forte com o objetivo de ganhar, vencemos por 3 a 0 e isso é muito importante, pois o saldo de sets vai fazer grande diferença no final do campeonato", comentou Léo, ao final da partida.

Também na briga pela ponta, o Sada Cruzeiro Vôlei foi até Caxias do Sul e venceu Fátima/Medquimica/UCS por 3 sets a 0 - 25/17, 27/25 e 25/23. Em Araraquara, o Lupo/Náutico/Let''s caiu diante do Vôlei Futuro por 3 a 1, parciais de 25/20, 20/25, 25/20 e 25/17. Em Brasília, o Upis/Brasília não resistiu ao Álvares/Vitória e foi derrotado por 3 sets a 0 - 25/20, 25/22 e 25/19.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.