Montes Claros vira sobre o Cruzeiro e decide a Superliga

O improvável aconteceu na noite desta terça-feira no Ginásio Tancredo Neves. Jogando em casa, o Montes Claros/Funadem perdia por 2 sets a 0 para o Sada Cruzeiro e tinha uma desvantagem de cinco pontos na terceira parcial. Mas o time anfitrião foi buscar a virada e venceu por 3 sets a 2 (20/25, 27/29, 25/23, 25/19 e 17/15), se garantindo na final da Superliga masculina de vôlei.

AE, Agência Estado

21 de abril de 2010 | 00h23

A vitória do Montes Claros fechou a série melhor de três partidas do confronto mineiro em 2 a 0. Na primeira partida, em Itabira, na última sexta, o Cruzeiro já havia sido derrotado por 3 sets a 1. Agora, o Montes Claros espera pelo vencedor do duelo entre Cimed e Pinheiros/Sky para conhecer o seu adversário na grande decisão, a ser disputada em jogo único, no Ginásio do Ibirapuera.

Disputando a sua primeira temporada na Superliga, o Montes Claros teve como grande destaque na partida desta terça o oposto Lorena. Buscando quebrar o recorde de maior pontuador em uma edição do torneio, o jogador liderou a equipe anfitriã à virada. No fim, também pôde comemorar o fato de ultrapassar a marca que Anderson conseguiu em 2001, quando marcou 678 pontos pela Ulbra.

Após ser surpreendido em casa, o Cruzeiro chegou determinado para o jogo em Montes Claros. Melhor em quadra, a equipe sobrou no primeiro set, mas encontrou um adversário duro na segunda parcial. O time anfitrião se recuperou do início ruim e equilibrou a partida. Ainda assim, os cruzeirenses foram melhores no momento decisivo e fecharam o set em 29/27.

No terceiro set, o Cruzeiro seguiu controlando bem o confronto, mas só até o oitavo ponto. Quando o placar marcada 8/3 para os visitantes, começou a reação do Montes Claros. Com Lorena inspirado e o apoio de mais de 8 mil torcedores no ginásio, o time da casa empatou o jogo e ainda superou nova desvantagem no tie-break para conquistar a vaga na final.

Tudo o que sabemos sobre:
vôleiSuperligaMontes ClarosCruzeiro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.