Mudança beneficia Brasil na Liga

A Federação Internacional de Vôlei (FIVB) modificou a regra de formação dos grupos para a próxima fase da Liga Mundial e beneficiou o Brasil. Em lugar de montar as chaves de acordo com a classificação na primeira fase, conforme previsto no regulamento da competição, a entidade dividiu as equipes segundo o ranking mundial de abril. A Itália, primeira na classificação, e a Polônia, país-sede, são os cabeças-de-chave. O Brasil está no Grupo E, com França, Iugoslávia e Polônia. A chave F terá Itália, Rússia, Cuba e Holanda.Pela fórmula antiga, o Brasil jogaria com Itália, Rússia e Polônia. Teoricamente, segundo o técnico da seleção brasileira, Bernardinho, as três principais forças do esporte - Itália, Cuba e Rússia - ficaram no outro grupo. "Mas isso é só teoria. A França, por exemplo, é uma surpresa. Ganhou da Itália e está muito bem."Para Bernardinho, o único problema da mudança é que ele já havia estudado o jogo dos italianos e agora terá de fazer o mesmo com Iugoslávia e França. "Só tenho uma fita dos iugoslavos, que venceram Portugal facilmente, e esse material não é ideal para o nosso trabalho."O Brasil estréia na próxima etapa na segunda-feira (os jogos da seleção serão às 15 horas, de Brasília), contra a Polônia. A rodada terá também Iugoslávia x França, Holanda x Cuba e Itália x Rússia. Na terça-feira, a seleção jogará com a Iugoslávia e, na quarta-feira, com a França. Os dois times mais bem classificados em cada chave disputam as semifinais no dia 29. Os vencedores jogam pelo título no dia 30. A TV Globo mostrará ao vivo os confrontos do Brasil.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.