Gaspar Nóbrega/Inovafoto/CBV
Gaspar Nóbrega/Inovafoto/CBV

Na luta pela taça da Superliga de vôlei, Sesi e Taubaté querem evitar erros

Quinto e decisivo jogo da final será disputado neste sábado à noite, em Suzano. A previsão é de jogo equilibrado

Paulo Favero, O Estado de S.Paulo

11 de maio de 2019 | 04h40

O campeão da Superliga masculina de vôlei será decidido neste sábado a noite, quando Sesi-SP e EMS Taubaté Funvic se enfrentam às 21h30, na Arena Suzano, no quinto e último jogo da série. Cada equipe venceu dois duelos anteriormente, em disputas equilibradas. Agora, os dois lados sabem que não existe mais margem para erros.

“Foram quatro jogos equilibrados, a diferença de pontos foi pequena, e isso já era esperado por causa da qualidade das duas equipes. Nesse quinto jogo não vai ser diferente. Nosso time tem jogadores acostumados a momentos de decisões, tanto no clube quanto na seleção, e é bom jogar ao lado de atletas assim. Do outro lado é a mesma coisa, com um grupo experiente”, explicou o central Lucão, do Taubaté.

Ele atua com jogadores de seleção, como Lucarelli e Douglas Souza, além de estrangeiros que mostraram muita força nesta Superliga, como o levantador Uriarte e o ponta Facundo Conte. O time ainda é comandado pelo técnico Renan Dal Zotto, que assumiu a missão durante a competição e conseguiu levar a equipe até a decisão.

Para Lucão, a disputa está aberta. “Não tem um fundamento só que fará a diferença. As duas equipes têm características diferentes. O Sesi é um time mais regular, não erra tanto, mas não força tanto quanto a gente. Vai ser um jogo interessante na quadra e para quem estiver assistindo”, disse.

Do outro lado, o experiente Murilo, que vem atuando com sucesso como líbero, acredita que o saque é uma arma poderosa. “Tem de aproveitar os momentos bons quando tivermos e nos difíceis manter a calma para tentar fazer o jogo virar para o nosso lado. Acho que será um bom jogo, é uma final de Superliga, quinta partida, equipes equilibradas, então é difícil prever qualquer coisa”, comentou.

O Sesi conta em sua equipe com o levantador William Arjona, os pontas Lipe e Lucas Lóh e o central Eder, entre outros. O técnico Rubinho tenta levar o time ao título nacional após o vice-campeonato no ano passado, quando perdeu na decisão para o Sada Cruzeiro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.